Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Família de Prince entra com processo contra médico do cantor

Parentes alegam que o doutor Michael Schulenberg não tratou de maneira adequada o vício do artista em opiáceos

A família de Prince Roger Nelson entrou com um processo contra o médico que cuidou do cantor. Eles alegam que o doutor Michael Schulenberg não tratou de maneira adequada o vício do intérprete do autor do sucesso Purple Rain em opiáceos. Prince morreu em 2016, aos 57 anos de idade, de uma overdose do analgésico fentamyl. Embora os promotores do caso não tenham encontrado culpados pela morte do astro pop, sua família acredita que  Schulenberg tenha tido uma atitude negligente.

“Ele falhou em avaliar, diagnosticar, tratar e aconselhar Prince em seu vício em opiáceos”, diz a ação. “Essas falhas de procedimentos médicos adequados resultaram na morte de Prince.” A família pede 50 000 dólares do médico.

Paul Peterson, advogado do doutor Schulenberg disse que irá recorrer da decisão. “Nós entendemos que essa situação está sendo difícil para as pessoas próximas ao senhor Nelson, assim como seus fãs ao redor do mundo. Mas foram tomadas todas as providências necessárias no tratamento do cantor”. A ação dos familiares de Prince também se estende ao hospital onde Schulenberg trabalha e a rede de lojas Walgreens, que vende remédios sem prescrição médica.

No dia 21 de abril de 2016, Prince Roger Nelson foi encontrado inconsciente no Paisley Park, seu estúdio em Minneapolis. A polícia achou analgésicos de vários tipos em sua casa e as investigações mostraram que ele era viciado nessas drogas há vários anos. As autoridades, contudo, não chegaram à conclusão de que as pílulas que causaram a overdose em Prince foram receitadas por um médico. No dia 21 de setembro será lançado Piano & Microfone, disco póstumo do cantor.