Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exposição na Itália revelará documentos dos Arquivos Secretos do Vaticano

Cidade do Vaticano, 17 fev (EFE).- O sumário do julgamento do pensador e frade dominicano Giordano Bruno, que foi condenado a morte e queimado durante a Inquisição, no ano de 1600, será um dos valiosos documentos custodiados pelo Vaticano que serão expostos em Roma a partir de 29 de fevereiro.

‘Lux in Arcana, L’Archivio Segreto Vaticano si rivela’ (Luz nos enigmas, o Arquivo Secreto Vaticano se revela) é o título da mostra que abriga estes documentos e que poderá ser acompanhada pelo público nos Museus Capitolinos de Roma até 9 de setembro.

O sumário – que se tornou público nesta sexta-feira, no aniversário da execução de Giordano Bruno – é ‘excepcionalmente relevante’, já que as atas do julgamento foram perdidas, talvez queimadas com outros processos do Santo Ofício, antes que os Arquivos Romanos, enviados a Paris por ordem de Napoleão, em 1810, fossem devolvidos à Santa Sé entre 1815 e 1817.

Segundo os organizadores, entre esses arquivos estava o sumário, o único que sobrou do dossiê do julgamento e que contém amplos extratos deste processo.

Giordano Bruno, nascido na cidade italiana de Nola em 1548, foi queimado como um herege e apóstata no dia 17 de fevereiro de 1600, na Praça romana de Campo dei Fiori. Depois de 412 anos, o caso segue atraindo a atenção dos estudiosos e homens da Igreja.

Na celebração do 400º aniversário da morte de Giordano Burno, em 2000, o então cardeal Secretário de Estado Vaticano, Angelo Sodano, expressou um ‘profundo pesar’ da Igreja pela ‘morte atroz’ do pensador e frade, embora tenha evitou fazer uma ‘mea culpa’.

Além deste valioso documento, a exposição também mostrará outros importantes registros, como a bula ‘Inter Cetera’, do papa Alejandro VI, que marcou a delimitação entre os descobridores espanhóis e portugueses pouco depois da chegada à América.

Dessa bula papal existem duas redações e, embora o original esteja no Arquivo de Indianas, em Sevilha (Espanha), um dos textos se encontra no Registro Vaticano 777 do Arquivo Secreto Vaticano, o mesmo que será exposto.

As atas do processo de Galileu Galilei (1616-1633), que contêm todos os papéis desse julgamento e foram recolhidos pela Congregação do Santo Ofício, também aparecem como um dos destaques dessa exposição.

‘Lux in Arcana’, além da referência ao aniversário de morte de Giordano Bruno, também prestará uma homenagem ao 400º aniversário da fundação do Arquivo Secreto Vaticano, criado pelo papa Pablo V em 1612.

O Arquivo Secreto Vaticano, o maior e mais internacional do mundo, conserva em seus depósitos documentos de 12 séculos, distribuídos em 85 quilômetros de estantes. EFE