Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ex-mulher culpa drogas pela morte de Chorão

Por Da Redação - 7 mar 2013, 20h49

A estilista Graziela Gonçalves, ex-mulher de Chorão, o vocalista da banda Charlie Brown Jr. encontrado morto na madrugada desta quarta-feira, atribuiu ao uso de drogas a morte do cantor. “É uma praga”, disse ela, na saída do sepultamento do roqueiro, enterrado no fim da tarde desta quinta-feira em Santos. Em conversa com a imprensa, Graziela disse que se afastou do músico como maneira de pressioná-lo a deixar as drogas — ela retomaria o casamento se ele se recuperasse. “Eu tentei de tudo, mas perdi a guerra”, desabafou. Nesta quinta, Graziela publicou um texto emocionado no site oficial do Charlie Brown Jr., dizendo que sempre vai amar Chorão.

LEIA TAMBÉM:

LEIA TAMBÉM: Lágrimas e aplausos marcam enterro de Chorão

Chorão foi encontrado sem vida pelo motorista e um segurança na cozinha de seu apartamento no bairro de Pinheiros, em São Paulo. No local, entre peças de roupa e um pó branco levado para análise toxicológica, a polícia encontrou medicamentos controlados e garrafas de cerveja. Para o delegado que investiga o caso, Itagiba Vieira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil de São Paulo, a morte do músico pode ter sido um acidente provocado pela mistura de álcool e remédios.

Publicidade

INVESTIGAÇÃO: Delegado fala em ‘surto psicótico’

Vizinho ouviu batidas na parede

O corpo de Chorão foi enterrado no Memorial Metrópole Ecumênica, o cemitério vertical de Santos, cidade onde ele cresceu e vivia desde o fim da infância, em cerimônia fechada para familiares e amigos. Antes, o corpo do músico foi velado na Arena Santos, o maior ginásio esportivo da cidade, por onde passaram mais de 5 000 pessoas de todas as idades. O roqueiro era considerado um dos maiores divulgadores do município. Por onde passava para fazer shows, Chorão falava de Santos e do seu time do coração: o Santos Futebol Clube.

Publicidade