Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo mostra que críticos masculinos ignoram diretoras em resenhas

As críticas femininas são mais propensas a mencionar uma diretora pelo nome (89% a 81%) e a fazer comentários positivos sobre essa diretora (52% a 38%)

Não é só na indústria do cinema que a mulher vai ter de brigar por espaço e reconhecimento. Um estudo da San Diego State University feito com base nos dados do Rotten Tomatoes, site que consolida resenhas do mundo inteiro, mostra que, entre os críticos de filmes nos Estados Unidos, a proporção é de dois homens para uma mulher. E que, entre eles, a chance de deixar de mencionar o nome de uma diretora é muito maior do que entre elas.

Os homens são 68% dos críticos nos EUA, de acordo com o levantamento publicado pelo Centro para o Estudo das Mulheres na Televisão e Cinema na San Diego State University. O grupo de pesquisa analisou as mais de 4.000 resenhas escritas por 341 colaboradores de veículos impressos ou digitais, reunidas no Rotten Tomatoes entre abril e junho de 2018.

O relatório também descobriu que os homens superam, em número, as mulheres em todas as categorias de trabalho: como críticos, freelancers, editores e colaboradores.

Ao avaliar o impacto do desequilíbrio de gênero, o estudo mostrou que os críticos do sexo masculino atribuíam classificações piores a filmes com protagonistas femininos do que as críticas do sexo feminino — que não se comportavam da mesma maneira que os colegas, ou seja, com resenhas mais negativas, quando se punham a avaliar filmes com protagonistas masculinos.

O levantamento também mostrou que, em geral, um filme dirigido por mulher é resenhado por outra mulher — os homens o ignoram. Além disso, as críticas femininas são mais propensas a mencionar uma diretora pelo nome do que uma crítica masculina (89% a 81%) e a fazer comentários positivos sobre essa diretora (52% a 38%).