Clique e assine a partir de 9,90/mês

Espero que o público se pergunte sobre a vida ao ver ‘The Leftovers’, diz ator

Protagonista Justin Theroux comenta segundo ano da série, que termina à meia-noite desta segunda

Por Da Redação - 6 dez 2015, 07h44

Muito mais do que uma mistura de fantasia com ficção com fundo religioso, a série do canal pago HBO The Leftovers, que exibe o último episódio de sua segunda temporada à meia-noite desta segunda-feira, é uma produção que quer fazer seu público pensar. Essa é a opinião de Justin Theroux, intérprete do protagonista Kevin Garvey (e também conhecido como o marido da ex-Friends Jennifer Aniston). “Eu acho que surgem muitas perguntas sobre todos os personagens por motivos diferentes. E eu espero que isso leve o público a se fazer perguntas similares”, diz o ator. “As perguntas são profundas, e algumas delas realmente têm a ver com o sentido da vida.”

Leia também:

Review – ‘The Leftovers’, primeira temporada

A série de Damon Lindelof (Lost), baseada no livro de Tom Perrotta, começa três anos após o que muitos acreditam ser o arrebatamento cristão, que faz desaparecerem 140 milhões de pessoas (ou 2% da população mundial). O programa mostra o que acontece com as pessoas que não foram levadas, que passam a negar as religiões comuns e criam cultos alternativos. Theroux interpreta um policial cuja família não foi diretamente afetada pelo arrebatamento – sua mulher, Laurie (Amy Brenneman), no entanto, se juntou ao grande culto dos Remanescentes Culpados, abandonando o marido e os filhos.

Continua após a publicidade

Na segunda temporada, o seriado muda de ares, saindo de uma cidade fictícia de Nova York para Jarden, no Texas, que passou a ser conhecida como Miracle (Milagre) depois do arrebatamento, já que nenhum cidadão foi levado pelo fenômeno. Poderia ser um recomeço para as vidas de Kevin Garvey e sua namorada, Nora (Carrie Coon), que vão para o local junto com a filha do policial e uma garota abandonada? Theroux aposta que não. “Seja o que for que estiver acontecendo, você leva isso para a vida. Não dá para se livrar do demônio. A maior parte das pessoas acha que uma mudança geográfica é capaz de deixar os problemas para trás, mas isso não é possível.”

A série, envolvida em mistério, parece ser um enigma também para o elenco. Theroux conta que ele, assim como seus colegas, recebem de Damon Lindelof um roteiro de cada vez. “Eu gosto disso, porque nos permite ficar no lugar do público também”, diz. “O Damon agora está fazendo uma coisa inteligente e que eu acho que funciona muito bem, que é uma espécie de sacudida em determinados personagens com grandes mudanças não de tema, mas de tom, fazendo episódios inesperados. Eu acho que ele gosta de deixar alguns personagens de lado durante algum tempo, e depois trazê-los de volta e fazer alguma coisa fascinante com eles.”

(Da redação)

Publicidade