Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em Insensato Coração, Gilberto Braga tem seu momento mais Manoel Carlos

Novela, que tem título tirado de música de Dorival Caymmi, foca os dramas familiares

Insensato Coração, novela que estreia nesta segunda-feira na Globo no lugar de Passione, vai ao ar marcada pelas baixas que sofreu logo no início de suas gravações. O afastamento da atriz Ana Paula Arósio, que resultou no seu rompimento com a Globo, na semana passada, e o abandono do ator Fábio Assunção, ainda em recuperação por dependência química, deram uma publicidade antecipada – e indesejada – à trama. Mas há outro aspecto interessante na nova novela das nove da Globo – a emissora assumiu de vez o horário, deixando de chamar seu principal folhetim de “novela das oito”. Distante das intrigas entre poderosos que caracterizaram outras tramas do autor, ela é, por assim, dizer, a história com mais jeitão de Manoel Carlos, noveleiro interessado em dramas domésticos, que Gilberto Braga já escreveu.

“Em Insensato Coração, há assuntos interessantes como a relação conturbada entre pais e filhos, como entre os personagens Raul (Antônio Fagundes), Léo (Gabriel Braga Nunes) e Pedro (Eriberto Leão)”, diz Gilberto Braga, que tirou o título da novela da música Só Louco, de Dorival Caymmi, e a assina em parceria com Ricardo Linhares. “Foi a partir da música que a novela nasceu. Veio o título e, depois dele, a história.” Confira abaixo a entrevista que o autor concedeu por e-mail ao site de VEJA.

Qual será o grande tema de Insensato Coração e em que ela se distinguirá de trabalhos anteriores seus?

A novela fala sobre relações familiares e entra na intimidade das casas dos personagens, mostrando como é a vida dentro de quatro paredes. Todos os trabalhos são diferentes, pois tratam de temáticas diferentes, com um elenco diferenciado e, sobretudo, são escritos por um grupo de autores e colaboradores que também passam por transformações ao longo do tempo.

Insensato Coração terá uma ex-participante de reality show lutando para manter a fama, Natalie, papel de Deborah Secco. Haverá algo de Celebridades, uma de suas últimas novelas, nesta nova trama?

Não. A personagem Natalie é uma mulher que já experimentou a fama. Ela não busca a notoriedade apenas para continuar sendo uma celebridade. O que ela quer, de verdade, é mudar de vida. E isso inclui a busca por um marido rico, que possa sustentá-la.

Logo no início das gravações, a novela perdeu dois dos principais nomes de seu elenco, Fabio Assunção e Ana Paula Arósio. Quais os efeitos de sua saída para a produção?

Cada um deles teve os seus motivos. Tivemos que reorganizar a casa, mas graças à boa parceria que temos, especialmente com o diretor, Dennis Carvalho, está tudo resolvido.

Insensato Coração terá algum tema social a explorar, como o alcoolismo de Vale Tudo?

O merchandising social não é a minha praia, pois não sei fazer direito. Em Vale Tudo (em que a atriz Renata Sorrah deu vida à desregrada Heleninha Roitman) foi diferente, pois eu convivia com uma pessoa que experimentou isso na pele.

As novelas perderam audiência nos últimos anos. Isso torna mais desafiante escrever uma trama ou reduz a responsabilidade, já que as metas de alcance de público foram reduzidas?

Não acredito que a audiência das novelas seja menor. As pessoas continuam consumindo novela, mas de forma diferente.