Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dublador defende gay em ‘A Bela e a Fera’: ‘Filme tem monstro’

'LeFou agora é oficialmente gay, mas na verdade ele sempre foi', disse Pierce ao site americano TMZ

Por Da redação - 9 mar 2017, 12h02

Por que um romance gay deveria chocar mais do que a relação amorosa entre uma menina e um monstro? Essa é a linha de raciocínio de Bradley Pierce, dublador do personagem LeFou na animação A Bela e a Fera, de 1991. LeFou, como já foi divulgado por Bill Condon, diretor da nova versão do conto para o cinema, vai sair do armário: ficará claro, no novo filme, em que será vivido por Josh Gad, que ele é apaixonado pelo patrão, o aristocrata e antagonista da história, Gaston (Luke Ewans).

“LeFou agora é oficialmente gay, mas na verdade ele sempre foi. O único momento hétero que ele pode ter tido foi aquele em que pareceu interessado nas trigêmeas que dão em cima de Gaston, e são esnobadas por ele”, disse Pierce ao site americano TMZ. “É incrível que isso choque mais do que o envolvimento de uma menina com um búfalo.”

Embora não haja qualquer cena de sexo explícito no filme, o simples fato de haver um clima entre dois personagens do mesmo sexo levou um cinema do Alabama a banir o longa da sua programação e o Ministério da Cultura da Rússia a considerá-lo impróprio a menores de 16 anos.

 

Publicidade

 

Publicidade
Publicidade