Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dominguinhos terá novo sepultamento em Garanhuns

O corpo de José Domingos Moraes, o sanfoneiro Dominguinhos, enterrado há dois meses no cemitério Morada da Paz, no município pernambucano de Paulista, teve novo sepultamento na tarde desta quinta-feira, 26, em Garanhuns, cidade do agreste onde nasceu. Para receber o corpo de Dominguinhos, a prefeitura de Garanhuns construiu um mausoléu com sua foto.

Ricardo Setti: Relembrando Dominguinhos: seu vídeo mais antigo e raro na internet

O traslado ocorreu com o acompanhamento da vigilância sanitária e é resultado de uma ação judicial impetrada pelo filho mais velho, Mauro Moraes, que queria atender à vontade do pai, expressa em uma entrevista ao radialista Geraldo Freire, há dez anos. O músico disse, na ocasião, que gostaria de ser enterrado na sua cidade natal, Garanhuns.

Dominguinhos é velado na Assembleia Legislativa de SP

Depois de deixar Paulista, pela manhã, o cortejo fez uma parada no restaurante Arriégua, no Recife, que era frequentado pelo sanfoneiro. Ali, recebeu homenagem de amigos músicos.

A decisão de enterrar o corpo na região metropolitana do Recife foi tomada por sua mulher, Guadalupe, e a filha mais nova, Liv Moraes, à revelia da opinião de Mauro. Desta vez, os dois filhos participam do novo sepultamento sem desavenças.

Dominguinhos morreu no dia 23 de julho, aos 72 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, depois de uma luta de seis contra um câncer. Ele foi enterrado dois dias depois no Morada da Paz.

Carreira — Discípulo de Luiz Gonzaga, José Domingos de Morais nasceu em 1941, na cidade de Garanhuns, agreste pernambucano. Lá, ele foi descoberto ainda menino pelo chamado “rei do baião”, a quem passou a acompanhar em shows pelo país e com quem teve uma relação quase de pai e filho.

Seu primeiro disco, Fim de Festa, saiu em 1964. Em 2002, o músico levou um Grammy Latino com o CD Chegando de Mansinho. Dominguinhos lançou 41 discos.

(Com Estadão Conteúdo)