Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Das páginas para as telas: a literatura toma conta de Cannes

Kerouac e seu livro cult Pé na Estrada (On the Road), Don DeLillo e seu Cosmópolis, Hemingway, Mauriac, Anouilh ou Musset. O 65º Festival de Cannes vai ser praticamente uma biblioteca de adaptações.

O casal de Crepúsculo, por exemplo, vai cruzar o tapete vermelho em duas adaptações. Kristen Stewart interpreta Marylou na esperada versão do romance de Jack Kerouac, dirigida pelo brasileiro Walter Salles. Produzido por Francis Ford Coppola, este será um dos destaques de Cannes. Seu parceiro nas telas e na vida, Robert Pattinson, estará em Cosmópolis, o novo filme de David Cronenberg, também estrelado por Juliette Binoche e Paul Giamatti, uma transposição do romance de Don DeLillo e retrato de um menino de ouro paranóico. Ambos os filmes serão lançados nos cinemas dia 23 de maio.

Três anos após o Grande Prêmio do Júri ter coroado O Profeta, Jacques Audiard competirá pela Palma de Ouro com De Rouille et d’Os, história de um amor atormentado, com Marion Cotillard e Matthias Schoenaerts, adaptado de dois romances da coleção de Craig Davidson, relançados para a ocasião. O filme estreará em 17 de maio.

Dos seis filmes franceses na disputa, Vous n’Avez Encore Rien Vu, de Alain Resnais, que completará 90 anos em junho, é uma releitura de Eurídice, de Jean Anouilh, com Mathieu Amalric, Sabine Azema e Pierre Arditi. O filme estreará nos cinemas dia 26 de setembro. Na Quinzena dos Diretores, o coreano Jin-ho Hur ataca com o legendário romance de Choderlos de Laclos As Relações Perigosas. O filme, rodado na China, traz de volta a Xangai dos anos 1930.

Mais – Também na Quinzena, destaque para a adaptação da série de livros infantis Ernest e Célestine, de Gabrielle Vincent, com roteiro do escritor Daniel Pennac. Este filme de animação, que coloca em cena um grande urso e um pequeno rato, é obra do trio franco-belga Vincent Patar, Stéphane Aubier e Benjamin Renner, a quem devemos A Town Called Panic.

Entre os 54 longas-metragens da seleção oficial concorrem outras adaptações como The Paperboy, de Lee Daniels, com Zac Efron e Nicole Kidman, em um cenário do romancista Peter Dexter. Killing Them Softly, de Andrew Dominik, estrelado por Brad Pitt, é baseado no romance de George V. Higgins. Lawless, de John Hillcoat, leva às telas um romance de Matt Bondurant.

Na seleção Um Certo Olhar, Sylvie Verheyde filmou a Confession of a Child of the Century, de Alfred de Musset, com Charlotte Gainsbourg e Pete Doherty. Já Kôji Wakamatsu conta o trágico destino do escritor japonês Yukio Mishima em seu filme 11.25 The Day He Chose His Own Fate. Enfim, Les Chevaux de Dieu, do marroquino Nabil Ayouch é adaptado do romance Les Etoiles de Sidi Moumen, de Mahi Binebine, sobre os atentados de Casablanca em 2003.

Uma homenagem ao diretor Claude Miller, que morreu em 4 abril, será feita no dia 27 de maio com a exibição de Thérèse Desqueyroux, seu último filme adaptado do romance de François Mauriac, com Audrey Tautou. E o novo filme de Philip Kaufman, Hemingway & Gellhorn, com Clive Owen e Nicole Kidman, será exibido em homenagem ao cineasta.

(Com agência France-Presse)