Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Correção: Espetáculo une Bach à dança contemporânea

Por Roger Marzochi

São Paulo – O violoncelista Dimos Goudaroulis quebrou o pulso antes da estreia e a apresentação das coreografias será realizada ao som da gravação que ele fez da obra. Abaixo, segue o texto corrigido:

Johann Sebastian Bach compôs “Suites a Violoncello Solo senza Basso” entre 1720 e 1723, emprestando as formas das músicas de dança da corte para criar um som intimista que, provavelmente, não foi criado para ser dançado. Mais de 300 anos depois, música e dança se mesclam unindo o barroco ao contemporâneo no espetáculo “Logos-Diálogos, 6 suítes para violoncelo solo e dança de J.S. Bach”, apresentado no Teatro Alfa, em São Paulo.

O projeto foi idealizado pelo violoncelista grego Dimos Goudaroulis, que mora no Brasil desde 1996. Ele escolheu seis dos maiores coreógrafos do Brasil para criar coreografias para cada uma das seis suítes da obra de Bach: Deborah Colker, Henrique Rodovalho, Ismael Ivo, Jorge Garcia, Luís Arrieta e Tíndaro Silvano. O projeto ainda teve a participação de Ana Botafogo e outros bailarinos. “Não queria ter um desfile de coreógrafos maravilhosos, um depois do outro. Eu queria, dentro da multiplicidade e variedade de estilos, procurar uma unidade para o espetáculo”, explica o músico.

Dimos tocaria as suítes ao vivo, mas quebrou o pulso antes da estreia. A solução foi usar a gravação das suítes. O espetáculo foi dividido em duas trilogias. A primeira foi exibida nos dias 1º e 2 de maio. Nesta terça (8) e quarta-feira (9) será apresentada a segunda trilogia, com as suítes 4, 5 e 6, com as coreografias de Débora Colker, Ismael Ivo e Tíndaro Silvano.

O fio condutor do espetáculo é o simbolismo que carregam as seis suítes, tanto sobre o aspecto instintivo como histórico. No primeiro, o músico apresentou aos coreógrafos os seus sentimentos a respeito do que significaria para ele essa música, estudada por ele há 28 anos. Em 2008, ele lançou o CD “Bach – 3 Suítes para Violoncelo Solo”, vencedor do prêmio Bravo! Bradesco Prime de Cultura como melhor “CD erudito”, com as suítes 1, 2 e 3. No ano passado, conseguiu lançar o CD “Johann Sebastian Bach – 6 Suites a Violoncello Solo”, com todas as suítes da obra.

“Como interprete, vem o lado instintivo, que tem insights da obra, que você entende não com razão mas com o sentimento. Esse lado instintivo me trouxe imagens e símbolos na minha cabeça”, conta o músico, que prefere manter em segredo essas imagens que teve da obra para que o significado do espetáculo fique em aberto para o público.

Além da intuição, Dimos também se utiliza da pesquisa histórica em relação à música, muito influenciada pela religiosidade, e pela numerologia, que o músico disse ter encontrado nas partituras. “Tem o número 6, por serem seis suítes, com 6 movimentos cada. E tem o número 3, muito forte na estrutura da obra. E as três primeiras suítes com as três últimas têm paralelismos muito fortes. O Bach era um grande religioso e grande místico. E procurar símbolos na música dele é algo muito coerente. E o número três na simbologia cristã é a trindade e, dentro dessa simbologia, vem o fio condutor. Essa é a parte escondida, secreta do espetáculo, que dá união ao todo.”

A interação entre o passado e o presente no espetáculo se dá também pelo fato de o músico interpretar a obra de Bach com um violoncelo do século 18 pelo manuscrito da partitura escrita por Anna Magdalena Bach, segunda esposa do compositor alemão, porque a partitura original se perdeu. “A dança contemporânea tem os códigos dela para falar das coisas. O interessante no projeto é a contraposição, o contraponto entre o antigo e o moderno. Eu toco de um jeito histórico, com o manuscrito e não as edições modificadas da obra, mas vem o contraponto com um olhar contemporâneo sobre uma obra universal, que não tem época, não tem tempo.”

SERVIÇO

Logos-Diálogos

Johann Sebastian Bach – 6 Suites a Violoncello Solo

SEGUNDA TRILOGIA – 21h

Dias 8 e 9 de maio – Suítes 4, 5 e 6

Tíndaro Silvano e Grupo Vórtice, Suíte 4

Ismael Ivo, Suíte 5

Deborah Colker e convidados, Suíte 6

Teatro Alfa

R. Bento Branco de Andrade Filho 722

Tel. 11 5693-4000

Ingressos: R$ 60 a R$ 90

Informações e vendas: 4003-1212