Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Comentaristas franceses lideram pódio do racismo na Rio-2016

Apresentadores do canal France 2 falaram que escravidão foi essencial para o Brasil e chamaram japonesas de pequenas Pikachus

Por Da redação - 11 ago 2016, 17h39

Os comentaristas do canal francês France 2 estão dando um show de preconceito durante a transmissão da Olimpíada do Rio. A primeira controvérsia aconteceu durante a cerimônia de abertura, quando os apresentadores Daniel Bilalian e Alexandre Boyon afirmaram que “a escravidão foi necessária para o desenvolvimento industrial do Brasil”.

LEIA TAMBÉM:
Comentarista da BBC diz que Galvão Bueno ‘precisa calar a boca’
Narrador manda jogadora japonesa ‘caçar Pokémon em Osasco’

A transmissão foi realizada ao vivo pelo canal France 2, e teve a participação do ex-jogador de futebol Raí. Após a polêmica declaração, o Conselho Superior do Audiovisual (CSA), órgão público de regulação da França, abriu uma investigação a pedido do Conselho Representativo das Associações Negras (CRAN) do país, que denunciou os jornalistas por preconceito e por dar uma aula de história às avessas.

Mas a falta de noção dos funcionários do canal não parou por aí. Durante a competição de ginástica artística feminina, o comentarista Thomas Bouhail tentou fazer uma piada e acabou soltando comentários preconceituosos contra as atletas japonesas. “Parecem pequenas personagens felizes de mangás. É como se fosse um desenho animado com Pikachus em todos os lugares”, declarou.

Depois de toda a controvérsia, a direção do canal resolveu pedir desculpas aos espectadores: “Lamentamos os comentários, entendemos as reações e consideramos a situação séria”. Bouhail também reviu suas falas: “Gostaria de pedir desculpas à equipe japonesa. Sinto se minhas palavras foram mal interpretadas ou ofenderam algumas pessoas”, declarou.

Publicidade

 

Publicidade