Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China entra para lista de países que censuram ‘Noé’

Filme estrelado por Russell Crowe não será exibido no país, considerado um dos principais mercados cinematográficos do mundo

O filme Noé continua a causar controvérsias pelo mundo. Depois de ser mal recebido por cristãos, que não gostaram da adaptação da história bíblica, e de ser censurado em países muçulmanos, agora foi a vez da China, o segundo maior mercado cinematográfico do mundo, a vetar a exibição do longa estrelado por Russell Crowe.

De acordo com o site do jornal Los Angeles Times, a Paramount Pictures, produtora do filme, gastou cerca de 10 milhões de dólares para converter Noé em 3D, a fim de torná-lo mais atraente para países em que a tecnologia tem espaço, como China, Brasil e Alemanha.

Leia também:

No Egito, islâmicos pedem proibição do filme ‘Noé’

‘Noé’ fica fora de lista de maiores filmes cristãos nos EUA

Russell Crowe rebate críticas ‘irracionais’ a ‘Noé’

Entre os países que censuraram o longa dirigido por Darren Aronofsky estão a Indonésia, a Malásia, o Egito, os Emirados Árabes Unidos, entre outros. Embora a China não seja um país muçulmano, ela também não é muito receptiva com temáticas cristãs.

No seu primeiro final de semana em cartaz nos Estados Unidos, o filme Noé faturou cerca de 44 milhões de dólares e alcançou o primeiro lugar na bilheteria americana. Contudo, a adaptação do épico bíblico não se manteve em alta. No final de semana passado a bilheteria não chegou a 1 milhão de dólares.