Clique e assine com 88% de desconto

‘Chaves’ declarava seu amor a ‘Dona Florinda’ pelo Twitter

Publicando fotos antigas da atriz mexicana, o humorista Roberto Bolaños não poupava elogios à mulher com quem viveu por 35 anos

Por Da Redação - 28 nov 2014, 18h41

O ator, escritor e comediante mexicano Roberto Gomez Bolaños, conhecido mundialmente por interpretar o personagem Chaves na série de mesmo nome, exibia com muito orgulho, para quem quisesse ver, o amor que tinha pela mulher, Florinda Meza García, a Dona Florinda do seriado. O nome da atriz aparecia frequentemente nas publicações feitas por Bolaños no Twitter, tanto em mensagens que descreviam a rotina do casal como em declarações de amor acompanhadas de fotos antigas da mulher.

Leia também:

Morre o mexicano Roberto Bolaños, o eterno Chaves

SBT interrompe ‘Chaves’ para anunciar morte de Bolaños e prepara homenagens

Publicidade

Seu Barriga’: ‘Roberto, você não se foi, permanece em meu coração’

Em 2011, após um pequeno desentendimento entre os dois, ele postou fotografias da atriz quando jovem, com legendas apaixonadas. O desentendimento se deu porque, dias antes, Bolaños havia publicado fotos recentes de Florinda, que se achou “velha, feia e desarrumada” nas imagens. Para compensar, ele passou a exibir apenas retratos em que ela aparecia bem arrumada, maquiada e, principalmente, jovem para os seu mais de 5 milhões de seguidores — número que tinha à época. A partir daí, o amor virtual se manteve no ar e o romantismo do ator virou marca registrada no microblog.

Florinda e Bolaños se conheceram há mais de 40 anos, quando ela, aos 22, fez sua estreia no programa El Chavo Del Ocho, conhecido no Brasil como Chaves, em 1970. O relacionamento amoroso, no entanto, se consolidou apenas sete anos depois, enquanto o seriado vivia seu auge no México, e se arrastou por 27 anos sem ser oficializado. Somente em 2004, no dia 19 de fevereiro, que os dois se casaram na Cidade do México. Viveram juntos até a morte do humorista.

Publicidade

‘Los Supergenios de la Mesa Cuadrada’

O programa de 1968 reunia os atores Rubén Aguirre (Professor Girafales), Roberto Bolaños (Doutor Chapatín), Ramón Valdés (Ingeniebrio Ramón Valdés) e María Antonieta de las Nieves (como ela mesma e apresentadora). Em tom bem-humorado, os personagens comentavam notícias do momento, intercaladas por esquetes divertidos. 

‘Chespirito – El Ciudadano Gomez’

El Ciudadano Gomez (1968) foi umas das histórias criadas por Roberto Bolaños para o programa Chespirito, em que apresentaria diversos personagens — entre eles o que dava título à atração. Foi também em Chespirito que nasceram os roteiros de Chapolin e Chaves. No episódio acima, Maria Antonieta interpreta uma vidente vigarista, que finge ver o futuro em sua bola de cristal. 

Publicidade

‘Chapolin’

A história do herói atrapalhado e medroso nasceu em 1970, um ano antes de Chaves e sua vila. Vivido por Roberto Bolaños, Chapolin aparece sempre que alguém está em apuros e tenta resolver a situação. O mesmo grupo de atores que trabalhava em Chespirito se reveza entre diferentes papéis nas histórias que mantêm apenas o quase-herói (e quase anti-herói) como elo principal. Uma das histórias mais famosas é aquela em que Maria Antonieta de Las Nieves interpreta a Bruxa Baratuxa, que tenta fazer com que a “camponesa de coração nobre” se case com seu filho. 

‘Aquí Está la Chilindrina’

Em 1994, a personagem Chiquinha protagonizou a série Aquí Está la Chilindrina, que contava com números musicais. A história da personagem, no entanto, é diferente da que ficou conhecida em Chaves. Chiquinha era uma garota abandonada pelos pais que foi viver em um convento e enlouqueceu o padre e as freiras do local. Dirigido por Rubén Aguirre, o Professor Girafales, o programa foi o último apoiado por Bolaños, que queria seu nome nos créditos como criador intelectual da personagem e começou, então, a brigar com Maria Antonieta de Las Nieves. 

Publicidade

‘Kiko e sua Turma’

O ator Carlos Villagrán, intérprete de Kiko, protagonizou o seriado ¡Ah qué Kiko! (1988), traduzido como Kiko e sua Turma pela Rede Bandeirantes, que o transmitiu no Brasil. O programa também tinha o ator Ramón Valdés, o Seu Madruga, que assim como Villagrán se desentendeu com Bolaños e deixou o elenco de Chaves. Na história, Kiko é um garoto que trabalha na venda Surpresa, de Seu Madruga. Entre Chaves e Kiko e sua Turma, Villagrán protagonizou também as séries Kiko Botones (1981), Frederrrico (1982) e Las Nuevas Aventuras de Fredericco (1983). 

Casos com outros personagens – Se engana quem pensa que Florinda e o ator Rubén Aguirre Fuentes, o professor Girafales, tiveram um caso fora das filmagens do seriado. O affaire da atriz antes de Roberto Bolaños era outro. Recentemente, o ator Carlos Villagrán, que interpretava o garoto Quico, amigo de Chaves, declarou em um programa de televisão peruano que teve uma relação mais íntima com aquela que interpretava sua mãe no seriado. “Não vou negar. Foi durante as filmagens de Chaves, há muito tempo atrás”, disse durante o programa do canal Frecuencia. Segundo boatos, a relação posterior entre Bolaños e Florinda teria sido um dos motivos para a briga nos bastidores entre ele e Villagrán, o que teria dado fim ao seriado. Até hoje, não se sabe ao certo se isso é verdade.

Ao contrário da mulher, Roberto Bolaños nunca se relacionou com nenhuma outra atriz do elenco. No entanto, antes de assumir o caso com Florinda, o ator foi casado com Graciela Fernandez logo no início de sua carreira, em 1958, com quem teve seis filhos.

Publicidade