Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Charlize Theron pode testemunhar em caso Harvey Weinstein

Nome da atriz apareceu em uma lista de possíveis testemunhas apresentada ao júri na última terça-feira 7. Salma Hayek e Rosie Perez também foram mencionadas

Por Redação - Atualizado em 8 jan 2020, 20h11 - Publicado em 8 jan 2020, 19h52

As atrizes Salma Hayek, Rosie Perez e Charlize Theron foram citadas pelo juiz James M. Burke como possíveis testemunhas no julgamento do produtor Harvey Weinstein, iniciado na última segunda-feira 6.

O nome das atrizes surgiu em meio a uma lista de outras noventa possíveis testemunhas fornecida ao júri durante a sessão do Tribunal Penal do Estado de Nova York na última terça-feira 7. Além delas, funcionários de Weinstein e pessoas com quem ele mantinha negócios também foram mencionadas pelo juiz – incluindo Robert Weinstein, irmão do réu.

Ainda não se sabe ao certo se as atrizes serão ouvidas ou apenas citadas no tribunal. Charlize chegou a afirmar recentemente que Weinstein espalhou rumores de que os dois mantinham relações sexuais, mas não acusou o produtor de assédio. Já Salma publicou um artigo em 2018 em que se referia a Weinstein como um monstro ao acusá-lo de violência sexual. Além delas, a lista ainda inclui a atriz Annabella Sciorra, que alega ter sido vítima do produtor em 1993.

Weinstein é acusado de assédio sexual por mais de noventa mulheres, mas o atual julgamento refere-se a apenas dois casos – o estupro de uma mulher em um quarto de hotel em Nova York em 2006 e de uma segunda vítima, também em Manhattan, em 2013. Além de responder por acusações de estupro em primeiro e terceiro grau, Harvey ainda enfrenta o banco dos réus por “agressão sexual predatória”, termo legal que caracteriza a prática contumaz do delito e é um agravante da pena.

Publicidade

Pela complexidade e pela comoção pública com o caso, o julgamento deve durar de seis semanas a dois meses. A primeira fase, que consiste na seleção do júri, teve início na última segunda-feira e pode levar até três semanas para que os promotores, os advogados de Weinstein e o juiz encontrem pessoas aptas e consideradas imparciais para julgar o caso.

O julgamento em si está previsto para começar no dia 22 de janeiro, e deve ser finalizado até seis de março. Se condenado, Harvey Weinstein pode pegar de 28 anos à prisão perpétua.

Publicidade