Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bryan Singer faz acordo de US$ 150.000 para encerrar processo de estupro

Diretor de 'X-Men' e 'Bohemian Rhapsody' foi acusado por homem que afirma que foi abusado por ele quando tinha 17 anos

Bryan Singer, diretor de produções como X-Men: O Filme (2000) e Bohemian Rhapsody (2018), fechou um acordo no valor de 150.000 dólares para encerrar um processo de um homem que afirma que foi estuprado por ele quando tinha 17 anos, segundo o site da revista The Hollywood Reporter. O cineasta, no entanto, continua negando as acusações e seu advogado afirmou que o acordo foi simplesmente a maneira que encontraram de encerrar o processo.

Carlos Sanchez-Guzman deu início à ação em dezembro de 2017, afirmando que tinha sido estuprado por Singer durante uma festa em um iate em 2003, quando tinha 17 anos. O homem afirmava que o diretor havia feito sexo oral e o penetrado sem seu consentimento.

O acordo se tornou público em um processo de falência de Sanchez-Guzman. De acordo com o site da revista Variety, 61.000 dólares dos 150.000 serão destinados ao pagamento das dívidas contraídas pelo rapaz nos últimos anos, em sua maioria decorrentes de empréstimos estudantis. O restante será dividido entre o pagamento dos custos de administração do caso e para uso próprio de Sanchez-Guzman.

Singer foi acusado de abuso sexual de menores de idade mais de uma vez. Em janeiro, a revista The Atlantic publicou quatro relatos de homens que afirmam terem sido abusados pelo cineasta quando eram adolescentes. Ele sempre negou as acusações.