Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bruna Marquezine encara nudez e morte em ‘Nada Será Como Antes’

Personagem da atriz tem recaída por músico interpretado por Jesuíta Barbosa, que volta a fazer o papel do assassino passional

Bruna Marquezine deu adeus na noite desta terça-feira a Nada Será Como Antes, a série de Guel Arraes e Jorge Furtado que ficcionaliza, com doses de verdade, o início da aventura televisiva no Brasil. Mas Bruna não saiu à francesa. A atriz foi a estrela principal do episódio desta terça, o penúltimo da série, que termina na semana que vem com a resolução da história de Saulo (Murilo Benício), o empresário que traz a TV ao país na atração, e Verônica (Deborah Falabella), a atriz que ele emprega, desposa e trai, em uma relação marcada por amor e mágoa. Em pouco menos de uma hora, Beatriz, a atriz vivida por Bruna, protagoniza cenas quentes com o músico Davi, papel de Jesuíta Barbosa, que voltou a fazer o assassino passional, disparando um tiro à queima-roupa contra a personagem de Marquezine, ao fim do capítulo.

Se Bruna não é aquela atriz de ser aplaudida de pé pela plateia por sua atuação, como uma Fernanda Montenegro, nesta terça-feira ela inquietou o público com as cenas de alta temperatura — não apenas pelo teor sensual, mas também pelo fim trágico de sua personagem, uma garota de origem humilde que subiu na vida por conta própria (e, é claro, um teste do sofá), não renegou as raízes, manteve corajosamente a mente aberta no Brasil dos anos 1950 e 60 e terminou vitimada por um mal entendido.

O músico representado por Jesuíta Barbosa, que na série Justiça já havia feito uma cena de crime passional, matando a noiva vivida por Marina Ruy Barbosa, entende que foi feito de bobo e traído por Beatriz, quando, na verdade, a atriz está participando de um plano para vingar a morte de sua mãe, Odete (Cássia Kis), assassinada no incêndio criminoso que a família de seu noivo armou contra a TV Guanabara, de Saulo. Para se vingar de Otaviano (Daniel de Oliveira), o noivo, ela precisa fingir que está ao seu lado, até entregar à imprensa especializada em fofoca que não se relaciona apenas com ele na mansão dos Azevedo Queiroz, mas também com a cunhada, Júlia (Letícia Colin). O problema é que o plano de vingança é traçado por Beatriz em uma conversa que ela tem com o patrão, Saulo, pouco depois de prometer a Davi que iria deixar Otaviano para ficar com ele. Não existe Whatsapp, sequer celular, que permita a Beatriz avisar Davi de que está representando a noiva fiel como parte de uma armação, e o músico reage muito mal ao ouvir uma entrevista da namorada a uma rádio, em que ela diz que vai se casar com o rico deputado vivido por Daniel de Oliveira.

Quando Beatriz tenta pedir perdão e se explicar, é tarde demais. O instável Davi a recebe em casa de revólver na mão. No que poderia ser um abraço de confraternização, ele dispara um tiro único, letal, que tira a personagem da história.

É claro que as redes sociais vibraram sobretudo com o nude que apareceu antes de Davi pedir Beatriz em casamento, quando o casal então se reconciliava depois de um desentendimento, mas toda a sequência de Bruna Marquezine nesta terça-feira foi carregada de eletricidade. Não à toa, a atriz disse em entrevista ao site oficial da série que Beatriz foi seu “papel mais desafiador da carreira”. “Eu cresci tanto”, disse. Marquezine também contou ter se emocionado na cena do assassinato da personagem. “Eu já sabia do fim da Beatriz desde o início da série. Foi muito emocionante, impactante, uma experiência muito forte. Eu me envolvi muito com ela e fiquei muito emocionada na cena. Mesmo quando não estava gravando eu não saí do personagem. Foi uma entrega muito grande, um dia bem marcante e muito difícil me despedir dela. Foi sofrido.”

Confira a repercussão do episódio desta terça no Twitter:

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Muita fama, nome, rostinho bonitinho… mas vamos falar a verdade, em termos de atuação é fraquíssima.

    Curtir