Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Blocos cariocas abrem alas até para os Beatles

Na pauta musical do carnaval de rua, cabem também homenagens a Roberto Carlos e Villa Lobos, em arranjos que vão do funk ao clássico

“É chato quando o bloco toca o mesmo hino repetidas vezes para que as pessoas aprendam de tanto ouvir a música. Esse formato está ultrapassado. Os novos blocos que atraem multidões e são responsáveis pela guinada que o Carnaval carioca deu seguem essa tendência de tocarem um repertório mais variado”, acredita Mauro Nogueira, cavaquinista do bloco “Fogo e Paixão”, de música brega.

Marchinhas e samba, sempre. Ou quase sempre. Música sertaneja, axé, Roberto Carlos, Villa Lobos e até Beatles formam a trilha sonora dos quase 500 blocos que invadem as ruas do Rio de Janeiro no Carnaval. A produtora cultural Roberta Sauerbronn, de 32 anos, é uma das pioneiras da folia sem samba. Junto de ex-colegas da faculdade de Cinema da Universidade Federal Fluminense, ela criou o “Se melhorar afunda”, o primeiro bloco intermunicipal do mundo, que “desfilava” a bordo da barca Rio-Niterói. O bloco acabou, mas a ideia de uma pauta musical mais ampla continuou, e em 2009 Roberta e seus amigos fundaram o “Exalta Rei”, uma mistura de Exalta Samba com o rei Roberto Carlos. Frevo, marcha rancho, axé, passaram a ser novos arranjos de canções clássicas não só de Roberto mas, também, de outros reis da música mundial, como Elvis Presley, o rei do Rock; Michael Jackson, o rei do pop; Luís Gonzaga, o rei do baião.



As produtoras do “Exalta Rei” escondem data e horário de saída do bloco este ano. Mas adiantam que, seja como e onde for, em 2011 o bloco vai dedicar um espaço especial a uma rainha: Xuxa. “Não escolhemos a música, o ritmo nem fizemos o arranjo ainda. Estamos escolhendo entre três opções a modalidade de bloco que faremos este ano”, revelou Roberta.

Villa-Lobos – No ritmo da inovação do “Exalta Rei”, três blocos debutam no Carnaval 2011, com estilos musicais distintos entre si. Dois nascem populares, garantem seus organizadores. O outro, acredite, é um bloco carnavalesco erudito. O maestro assistente da Orquestra Petrobrás Sinfônica, Carlos Prazeres, de 36 anos, resolveu promover uma grande “batutada” no dia 5 de março, sábado de Carnaval. Evidentemente, não é por coincidência que a data é a do aniversário de Heitor Villa-Lobos.

“Conversando com Heloísa Fischer (jornalista e produtora musical) descobri que ela tinha o mesmo sonho que eu, de criar um bloco para aproximar os jovens da música clássica e romper com o estereótipo do músico clássico como aquela pessoa que usa óculos fundo de garrafa, calça de tergal no verão e que não se diverte. Ela me lembrou que neste ano o Carnaval iria cair no aniversário do Villa-Lobos e que tínhamos que aproveitar este momento”. O nome do bloco é um híbrido musical de primeira linha: “Feitiço do Villa” homenageia o maestro e faz referência a uma das mais conhecidas composições de Noel Rosa. Acompanhada de cinco instrumentos de corda, cinco sopros, cavaquinho e percussão, a cantora lírica Mirna Rubim vai defender a música feita em parceria pelo sambista Edu Krieger, que compôs a letra, e por seu pai, o maestro e compositor Edino Krieger.

Fogo e Paixão – Outro estilo musical que promete agitar a folia de Momo este ano, é a música brega, que quer provar que também tem seus clássicos. Seus integrantes apostam que gostando ou não, todos que forem ao bloco “Fogo e Paixão”, às 10h, do próximo dia 27, no Largo de São Francisco, conhecerão as letras das músicas de cor. “É chato quando o bloco toca o mesmo hino repetidas vezes para que as pessoas aprendam de tanto ouvir a música. Esse formato de bloco está ultrapassado, os novos blocos que atraem multidões e são responsáveis pela guinada que o Carnaval carioca deu já seguem essa tendência de tocarem um repertório mais variado”, acredita Mauro Nogueira, cavaquinista do bloco.

E até os Beatles marcarão presença neste Carnaval, no bloco ‘Sargento Pimenta’. Beatlemaníacos de carteirinha, Leonardo Stul e Gustavo Gilteman, não pensaram duas vezes escolher Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band como tema da recém criada agremiação. “O visual deles nessa época está muito carnavalesco. A fase de transição deles no ‘Sgt. Pepper’ tem tudo a ver com esse nosso momento de estar trazendo uma coisa nova para o Carnaval”, filosofa Stul.

Fantasiados de Paul, John, George e Ringo, ou com snorkels a tiracolo, para homenagear os clássicos de Yellow Submarine e Here Comes the Sun, os integrantes do bloco levarão saxofone, trompete, guitarra, baixo elétrico e um poderoso amplificador para que de longe se ouçam os novos arranjos de músicas dos Beatles, que deram um ar carioca aos sucessos dos garotos de Liverpool.

No bloco, o público se surpreenderá com as versões de A Hard Day’s Night funkeada, All My Loving em ritmo de marchinha, e o samba-enredo I Wanna Hold Your Hand. O submarino amarelo do Sargento Pimenta se concentrará às 15h, do dia 7 de março, na Rua Visconde de Caravelas, próximo a Cobal do Humaitá, e seguirá navegando pelas ruas General Dionísio e Capitão Salomão.