Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Biógrafo diz que pressões impedem estreia de filme sobre Marighella

Nas redes sociais, Mário Magalhães chega a falar em censura e cobra uma posição da distribuidora do longa

Autor do livro Marighella – O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo, o jornalista Mário Magalhães usou as redes sociais nesta sexta, 10, para dizer que pressões estão impedindo a estreia do filme baseado na sua obra. Ele aproveitou a participação do longa num festival australiano para tocar no assunto e questionar a distribuidora Paris Filmes: “Marighella, o filme do Wagner Moura, chega à Austrália. Estrear no Brasil, que é bom, nada. E aí, Paris Filmes? Vai se submeter ao obscurantismo dos novos censores? Censura nunca mais!”, escreveu no Twitter. A VEJA, a distribuidora negou sofrer pressões, mas confirmou que a produção ainda não tem previsão de estreia.

Em outro post, Magalhães citou reportagem publicada no site da revista Piauí para afirmar que o filme se transformou “em assunto de governo e de Estado”. Na matéria, o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) diz que o longa fez com que Letícia Catelani, então diretora da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), impedisse a renovação de um convênio que financiava a divulgação de filmes brasileiros no exterior (ela foi demitida do cargo no início desta semana pelo novo presidente do órgão, contra-almirante Sérgio Ricardo Segovia Barbosa).

No Instagram, Magalhães frisou que ninguém precisa gostar do filme ou da figura de Carlos Marighella, guerrilheiro morto em 1969, mas que o público tem o “direito democrático” de poder ver o longa, dirigido por Wagner Moura e com Seu Jorge no papel principal.

Procurada por VEJA, a Paris Filmes negou que esteja sofrendo pressão. “O filme ainda não tem data de estreia, mas pontuo que a Paris não sofre nenhuma pressão no âmbito mencionado”, disse a assessoria de imprensa da distribuidora. “Tal qual diversos outros filmes ainda sem data de estreia definida, decidiremos o melhor momento para Marighella em função do cenário previsto no calendário de estreias, que, por ora, está muito competitivo. Tão logo essa decisão seja tomada, informaremos a todos. Também estamos ansiosos pelo lançamento do filme nos cinemas.”

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. antonio santos

    Sou totalmente contra qualquer censura, mas um filme que mostra um guerrilheiro sanguinário como herói deveria proibido falsidade ideológica!

    Curtir