Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Biógrafo de Mick Jagger se compromete a corrigir informação de que Luciana Gimenez seria ‘atriz pornô’

O jornalista americano Christopher Andersen admite ter errado ao se referir à apresentadora como estrela pornô em texto publicado no site do 'Daily Mail'

O jornalista Christopher Andersen, autor de duas biografias não-autorizadas de Mick Jagger, disse ao site de VEJA que vai corrigir a afirmação de que a apresentadora Luciana Gimenez seria atriz pornô. Em artigo escrito para o jornal britânico Daily Mail, Andersen apresenta seu novo livro sobre Jagger a partir das aventuras amorosas do roqueiro e, quando chega à sua relação com a brasileira, com quem ele teve um affaire e um filho, a descreve como “modelo” e “atriz pornô”.

“Eu pedi para o Daily Mail corrigir o texto no site”, contou o jornalista, por e-mail, depois de ter o erro apontado pela reportagem. Até o fechamento desta nota, na tarde de segunda-feira, no entanto, o erro permanecia no ar no artigo sobre a biografia Mick: The Wild Life and Mad Genius of Jagger (Mick: a Vida Louca e o Gênio Maluco de Jagger, em tradução livre).

O artigo de Andersen deu margem para que se pensasse que o novo livro sobre Jagger, e não apenas o texto sobre ele, chamava Luciana Gimenez de atriz pornô. Questionado a respeito, o biógrafo procurou se emendar, afirmando, em entrevista ao site de VEJA, que a apresentadora não era atriz pornô, mas sim a sua mãe. Procurada, Vera Gimenez disse estudar a possibilidade de acionar o jornalista legalmente.

Vera afirma que nunca fez filme pornô nem pornochanchada, gênero popular na década de 1970 que poderia dar brecha para a confusão do jornalista. A atriz atuou em vários filmes de comédia naqueles anos, como Já Não se Faz Amor como Antigamente (1976), A Difícil Vida Fácil (1972) e Tô na Tua, Ô Bicho (1971).

Luciana, que a princípio reagiu com bom humor ao aposto, fazendo até piada no Twitter, avisou na última sexta-feira que estuda acionar a Justiça.