Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Biodiversidade toma conta da Oca do Ibirapuera

Fotos de Zig Koch e Paulo Giandalia e animais recriados em papel pelo artista Tico Volpato fazem parte da exposição com duração de dois dias

Durante os dias 12 e 13 de setembro, a Oca do Ibirapuera vai abrigar uma típica floresta do sul do Brasil, com sua fauna e flora típicas. Realizada pela empresa Klabin, a exposição Bioeconomia e Biodiversidade – O Despertar da Conscientização vai ocupar uma área de aproximadamente 1 000 metros quadrados no espaço da capital paulista onde será recriado um ambiente florestal com árvores nativas e cenografia.

Ali, os visitantes vão interagir com o trabalho do fotógrafo curitibano Zig Koch, que há duas décadas registra a vida no Parque Ecológico da Klabin. A área, situada na cidade paranaense de Telêmaco Borba, abriga e trata animais em situação de risco e sem condições de voltar ao meio ambiente.

Koch também fotografa a pé, a bordo de helicópteros ou mesmo usando drones o Complexo Serra da Farofa, uma reserva particular do patrimônio natural mantida pela Klabin em Santa Catarina, com o objetivo de realizar pesquisas e cuidar do manejo de recursos naturais e do equilíbrio do clima e da ecologia locais. “São duas áreas de características diferentes, mas que têm em comum o fato de serem remanescentes de grande importância”, explica o fotógrafo. As fotos expostas na Oca são resultado de várias viagens a ambos os locais.

Animais de papel

Além das fotos, os visitantes da exposição Bioeconomia e Biodiversidade também vão caminhar entre 20 animais típicos presentes nas florestas da companhia. O artista Tico Volpato recriou um a um com papel e em tamanho natural. Entre eles estão: anta, capivara, esquilo, gralha, jacutinga, cervo, tucano e tatu. O mais difícil, diz o artista, foi recriar o pássaro maria-leque. “É um animal um tanto raro, com um leque na cabeça. Foi difícil encontrar imagens de referência”, conta o artista.

Dependendo do tamanho, cada animal demorou de um a dois dias para ficar pronto. “Utilizo três técnicas – origami, desenho para videogame e papercraft”, Volpato explica. “Desenho o animal à mão livre, utilizando fotos de diferentes ângulos como base de informação, depois lanço num programa de modelagem em 3D e gero um molde. E, então, dobro e colo o papel.”

Trabalho social

A exposição é também um convite à reflexão sobre os impactos socioambientais que a economia atual promove. Para isso, conta com fotos de Paulo Giandalia, cujo trabalho é focado na rotina, importância econômica e ascensão conquistadas pelos catadores de papel da zona oeste da capital paulista. “Há dez anos, fiquei três meses na rua interagindo com os catadores. Agora, repeti o processo para reencontrar quatro catadores de uma década atrás”, conta. “Esses profissionais chegavam a carregar 300 quilos de papelão todos os dias. Agora, muitos deles se organizaram e compraram carros para carregar o peso e aumentar a rentabilidade.”

A exposição acontece em paralelo com a segunda edição do evento Inova Klabin, um espaço para debate sobre inovação com propósito, sustentabilidade e conscientização. Planejado em 2016, o conceito Inova Klabin teve início em 2017 com a inauguração do Centro de Tecnologia Klabin. As iniciativas da companhia relacionadas à inovação têm permitido a troca de conhecimento com universidades, startups e públicos de interesse que se conectem aos propósitos e desafios da companhia para pequenas e grandes transformações em todas as frentes de atuação da empresa.

Serviço

Exposição: Bioeconomia e Biodiversidade – O Despertar da Conscientização

Local: Oca do Ibirapuera, Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral – Vila Mariana – São Paulo (SP)

Data: 12 e 13 de setembro

Horário: das 9h às 18h

Entrada gratuita