Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bieber tem mais fãs fantasmas do que reais no Twitter

Segundo levantamento de um site especializado em monitorar redes sociais, mais da metade dos seguidores do cantor adolescente é de perfis falsos

Por Da Redação - 12 abr 2013, 16h34

Justin Bieber é amado por um séquito de fantasmas no Twitter. De acordo com a BBC, um relatório elaborado pelo site Socialbakers, especializado em monitoramento de redes sociais, mostrou que cerca de 50% dos seguidores do cantor no Twitter são perfis falsos, administrados por pessoas que ganham dinheiro para estar na rede social. Segundo o levantamento, dos seus 37,4 milhões de seguidores, apenas 17,8 milhões estão ligados a contas de usuários reais. Os “Beliebers”, como se autodenominam os fãs do cantor, representam apenas cerca de 47% do total.

LEIA TAMBÉM:

A fase negra de Justin Bieber

Eu não sou a Lindsay Lohan, desabafa Justin Bieber

Continua após a publicidade

O estudo se deu com base na análise das seguidores dos perfis e das mensagens que eles postavam na rede social. Foram considerados falsos aqueles que divulgavam constantemente frases como “Dieta”, “Ganhe dinheiro” e “Trabalhe de casa”.

Com esse resultado, Bieber, que ultrapassou Lady Gaga no número de seguidores em janeiro, deveria voltar ao segundo lugar. Segundo o site Socialbakers, dos 36 milhões de seguidores da cantora, 19 milhões são reais. Os “Monstrinhos”, forma como a cantora chama os seus fãs, representam 52% do total de seguidores.

Em baixa – A situação atual do cantor teen está indo de mal a pior. Nos últimos meses, ele se transformou em persona non grata até mesmo para as pessoas mais próximas. Quando o relacionamento com Selena Gomez chegou ao fim, no começo do ano, bem que o cantor tentou reconquistá-la, mas recebeu como resposta apenas um efusivo “não”. No começo de abril, ele afirmou não ter amigos por não conseguir confiar nas pessoas. Se Bieber pensava que, durante essa fase terrível, teria ao menos o apoio de seus fãs e de seus mais de 35 milhões de seguidores no Twitter, pelo visto, se enganou.

Publicidade