Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

‘BBB17’: enfim, um elenco com mais tutano que ‘shape’

Galãs de humanas, clone do Dr. Hollywood, mulheres maduras na mente – reality show enfim tem participantes com história interessante

Por Maria Carolina Maia - Atualizado em 8 fev 2017, 12h13 - Publicado em 8 fev 2017, 11h44

Rômulo, 39 anos, é diplomata e já escreveu um artigo em que descarta a existência de heróis nacionais à direita ou à esquerda – “Seja o ex-presidente Lula ou o juiz federal Sergio Moro”, dizia. Pedro, 29, gosta de usar vestidos e colocar em discussão a questão de gênero. Eles fazem parte do interessante grupo que já foi batizado de “galãs de humanas” do BBB17. Marinalva, 39, é uma velejadora que participou das paralimpíadas e não se faz de coitada. Maynara, 26, eliminada nesta terça com mais de 80% dos votos e o apelido de Maynaja, podia ser cheia de veneno, mas tinha sustância: estudante de direito, ela ambiciona ser juíza. De longe, este é o Big Brother Brasil com melhor formação dos últimos anos – senão desde o início do programa, em 2000.

Nem mesmo a despedida da mineira Mayara, que põe fim à dupla mais ofídica desta edição, formada com a manaura Vivian, deve tirar a força desse elenco. Vivian, aliás, não perdeu tempo. Bastou dar adeus à mais nova amiga de infância para se jogar nos braços de Manoel, outra víbora da casa – seu veneno carregado de preconceito já foi lançado, por exemplo, contra o cirurgião plástico gaúcho Marcos, um dos favoritos da competição, a quem chamou de “veado enrustido”.

Metrossexual chamado de Dr. Rey nas redes sociais, Marcos é um candidato de peso ao prêmio de 1,5 milhão de reais. Inteligente e hábil, chegou a se envolver em um mal entendido – ao falar da vida pós-BBB, foi questionado sobre um ensaio para a G Magazine e disse que muitas meninas sairiam do confinamento para a Playboy –, mas mostrou, com simpatia e jogo de cintura, que está além das picuinhas. Conseguiu se reaproximar de desafetos e tem transitado entre os diferentes. Exemplo é sua boa relação com Ilmar, um advogado de 38 com quem protagonizou um dos melhores momentos desse início de edição, no último sábado.

Enquanto dividiam uma fantasia de cérebro no castigo do Monstro, em que o líder da vez escolhe dois colegas para o sacrifício, Marcos ficou com o lado “mau”, coroado por chifrinhos de diabo, enquanto Ilmar ficou com o lado “bom” da mente, com uma auréola azul sobre a cabeça. Cabia aos dois, quando acionados, dizer coisas que não apenas representassem os seus personagens, cada um dos lados, mas também que fossem contraditórias. Acabaram concordando na discordância, em uma tirada política depois vetada pela produção do programa: ao passo que Marcos gritava “Fica Dilma”, Ilmar pedia “Fora Temer”. A produção alegou que os dois deveriam se voltar para os colegas de confinamento, tirando a política do BBB.

Publicidade

Outros candidatos interessantes são Ieda, 70 anos, a participante mais velha da história do Big Brother Brasil, e o agente de trânsito paulista Daniel, de 41 anos. Ieda é, como Marinalva, madura não apenas na idade. Não à toa, as duas podem ser vistas em conversas pela casa. Mas o fato é que a média de idade do programa pode ajudar a explicar a boa formação do elenco deste ano. Há muitos concorrentes por volta dos 40 anos, com algo mais a dizer do que “quero malhar e ficar sarado”.

Em tempo: Tiago Leifert também parece um acerto do elenco. À medida que o programa avança, e o apresentador se mostra mais à vontade, Pedro Bial vai ficando no horizonte.

Publicidade