Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bárbara Evans, filha de Monique Evans, vítima de bullying

AgNewsBárbara Evans, filha de Monique Evans, foi vítima de bullying na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, onde cursa o primeiro ano de Nutrição. No sábado à noite, o muro externo do estacionamento do campus Centro foi pichado com ofensas a ela e à sua mãe.

Nos dizeres, havia a sugestão de que a moça, que também é modelo, teria feito sexo com um estudante de medicina da mesma instituição e incluía xingamentos. Monique confirmou que a filha teve um “namorico” com um aluno. O muro foi limpo na segunda-feira. Hoje, as duas pediram para ver o vídeo de vigilância e foram atendidas. Porém, não foi possível identificar o autor da agressão.

Pelo Twitter, Monique (@moniquevansreal) escreveu intensamente durante esta manhã sobre o assunto. “Bom dia, dia! Hoje tenho terapia e vou na delegacia perto da faculdade da Baby! Quero abrir um inquérito pra descobrir quem fez aquilo!”. Em seguida: “Se preciso de terapia hoje em dia, é porque fizeram muitas coisas como essa no passado! Com a minha filha, não vão fazer não! Vou até o final!”. E pediu ajuda: “E se alguém sabe de alguma coisa, liga, fala com a Bárbara, deixa bilhete. Porque temos o vídeo e vai ser muito chato a polícia chamando vocês”.

Em um de seus últimos posts, ela sugere a criação de um Trend Topic (assunto mais comentado do dia, que é identificado pelo símbolo #): “Podíamos começar #justiçabarbara!!!”. Cerca de 120 pessoas retuitaram ou publicaram algo usando o TT.

A faculdade enviou comunicado oficial ontem, em que dizia: “Em relação ao ocorrido com a aluna Barbara Evans, a Universidade Anhembi Morumbi informa que providenciou a limpeza do muro. A Universidade reforça seu posicionamento de total repúdio a qualquer ato relacionado à prática de vandalismo e se coloca à disposição para auxiliar nas investigações para identificação dos autores de tal ato de violência”. Segundo a sua assessoria de imprensa, ninguém foi acionado judicialmente.

O bullying é um termo inglês usado para designar, principalmente, a intimidação psicológica – que pode envolver atos de ridicularização, crítica e exposição – promovida entre colegas de escola. Sobre o fato, um aluno da instituição, que não quis se identificar, comentou: “Que coisa mais pré-histórica. Nem parece um comportamento desta faculdade. A Geisy Arruda não estaria onde está hoje se fosse estudante da Anhembi. Ninguém iria dar a menor bola pra ela”.