Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Banda iraniana de metal é condenada a 14 anos de prisão e 74 chibatadas

Músicos do grupo Confess, que foram acusados de insultar o islamismo em suas canções, fugiram durante o processo e hoje vivem na Noruega

Dois membros de uma banda de heavy metal iraniana, Confess, foram condenados, juntos, a catorze anos de prisão e 74 chibatadas por causa de seu trabalho. Segundo a revista Loudwire, que cobre o universo do metal, Nikan Khosravi, conhecido como Siyanor, foi sentenciado a doze anos e seis meses de prisão e 74 chibatadas, já Arash Ilkhani, conhecido como Chemical, foi condenado a dois anos de prisão.

Os músicos foram presos em 2015, acusados de blasfêmia por expressar suas opiniões contrárias à religião islâmica em suas canções. Eles pagaram fiança de 30.000 dólares cada um e deixaram a prisão em 2017, passando a responder ao processo em liberdade. Os dois, então, fugiram para a Turquia e depois conseguiram refúgio na Noruega, onde vivem atualmente.

A sentença dos músicos saiu no último dia 3. A lista completa de acusações inclui “insultar a santidade do islã”, “perturbar a opinião pública através de música contendo letras contra o regime e conteúdo ofensivo e por participar de entrevistas com a mídia opositora” e “insultar o Líder Supremo e o presidente”.

Em entrevista à Loudwire, Khosravi afirmou que ele e o colega só escaparam da pena de morte por causa de uma brecha na aplicação do Irã da Sharia, o conjunto das leis islâmicas baseadas no Alcorão. “Se você insultar o Profeta, vai ser executado, porque ele está morto e não consegue se defender”, disse. “Mas se você blasfema contra Deus e questiona a existência Dele, Ele pode te perdoar. Por isso não fomos executados.”