Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

As novidades gastronômicas de Recife

Confira algumas tendências que estão dando o que falar na cidade

Por Jennifer Detlinger - Atualizado em 3 set 2017, 20h06 - Publicado em 26 ago 2017, 04h00

A ELEGÂNCIA DO OURIÇO

Dotado de carapaça e protegido por espinhos, o ouriço-do-mar pode causar estranheza aos desavisados. “Tem gente que ama e há quem pede só para tirar foto”, diz Rodrigo Mendonça, sócio-proprietário do restaurante Riso, onde uma vez por mês o fruto do mar dá pinta no aquário que fica no salão. Trazida do Litoral Sul de Pernambuco, a iguaria é pescada na maré baixa dos arrecifes. Além de servido fresco, ao vinagrete, o ouriço compõe, na própria casca, o ceviche do peixe branco mais fresco do dia, cebola-roxa e coentro marinados em leite de tigre.

 

Publicidade

BRISA NOVIDADEIRA

Publicidade

Endereços novinhos em folha que começam a se destacar

Kaffe Torrefação e Treinamento Eudes Santana/VEJA

Kaffe Torrefação e Treinamento: a barista Lidiane Santos abriu em março a própria loja (foto), onde compartilha conhecimento e vende cafés especiais para beber na hora ou levar, em grãos ou recém-moídos.

Prouvot Pizza DOC: em poucos meses de atividade, as caprichadas pizzas de Hugo Prouvot chamaram atenção e a casa emplacou o segundo lugar da especialidade nesta edição de VEJA COMER & BEBER.

Ursa Bar e Comedoria: aberto em abril, o lugar já impressiona o público com bons petiscos, drinques pouco óbvios e a trilha sonora pautada por DJ ou apresentações ao vivo — uma vez por mês, o espaço recebe bandas independentes.

Publicidade

 

Publicidade

É SEGREDO (SÓ QUE NÃO)

Pina Cocktails & Co. Divulgação/Divulgação

Sair sem destino e, em um gesto espontâneo, entrar no Pina Cocktails & Co.? Não vai dar. Para visitar esse bar, é preciso dizer ao segurança uma senha previamente enviada por e-mail ou WhatsApp — uma regra inspirada nos lugares do tipo speakeasy da época da Lei Seca americana. No pequeno salão, cerca de vinte pessoas bebericam drinques e cobiçam um espacinho no balcão para ver de perto as coqueteleiras ser agitadas. Recomenda-se reservar com pelo menos uma semana de antecedência. “Estamos com listas cheias até setembro”, avisa Bruno Amisterdan, um dos sócios.

 

Publicidade

É BAR OU FOOD TRUCK?

Food truck Quintal Estelita Divulgação/Divulgação

Recife está cheia de lugares de roupagem híbrida que convidam a tirar proveito das noites de tempo firme, comendo e bebendo muito bem. Beleleu e Dom Black, por exemplo, foram erguidos sobre estruturas de contêiner e espalham mesas ao ar livre. Ambos apresentam bons hambúrgueres e animadora carta de drinques. O Quintal Estelita, por sua vez, é sempre confundido com um food park por causa dos trailers e Kombis de onde saem os petiscos. O jeitão de lounge e o palco para shows completam a festa.

 

Publicidade

NA ONDA DAS PANCs 

Publicidade

Palma forrageira, gogoia, facheiro, croá e bredo. As pancs — sigla para plantas alimentícias não convencionais — têm atribuído diversidade e viço aos pratos de cozinheiros que se esmeram em aproveitá-las. O chef Thiago das Chagas, do Reteteu Comida Honesta, usa o mentolado poejo para dar frescor ao arroz caldoso de mariscos. Espécies comestíveis do sertão também aparecem no menu de Rivandro França para o Cozinhando Escondidinho. “É preciso fazer isso entrar no dia a dia das famílias”, defende. Em meio a outros pratos, ele faz feijão-verde frito com filé de tilápia e camarão sobre creme de oiti e hambúrguer de fruta-pão recheado de creme de coalho, carne de sol e crocante de palma.

Publicidade