Clique e assine a partir de 9,90/mês

As cinco piores gafes do Oscar

O anúncio de 'La La Land' como melhor filme em vez de 'Moonlight' foi apenas um dos lendários momentos de constrangimento que já aconteceram na premiação

Por Da redação - Atualizado em 27 fev 2017, 15h12 - Publicado em 27 fev 2017, 14h45

Os produtores do filme La La Land — Cantando Estações já estavam em meio a seus discursos de agradecimento pelo prêmio de melhor filme durante a cerimônia do Oscar, quando a confusão se instalou no palco: o vencedor, na verdade,  era Moonlight: Sob a Luz do Luar. A gafe, que causou caos nos bastidores e constrangimento de atores, produtores e repórteres, talvez tenha sido a pior já enfrentada durante a premiação da Academia, mas outros enganos históricos também provocaram surpresa e embaraço aos artistas.

Confira as cinco piores gafes do Oscar:

1. Spencer “Dick Tracy”

Em 1938, o ator Spencer Tracy ganhou o prêmio de melhor ator pelo filme Marujo Intrépido, mas teve que receber uma segunda estatueta. A que recebeu no dia da cerimônia veio com o nome Dick Tracy gravado, um famoso personagem de quadrinhos americano.

Continua após a publicidade

2. “Venha e pegue-o, Frank!”

O ator Will Rogers anunciou o prêmio de melhor diretor, na 6ª edição do Oscar em 1934, com as seguintes palavras: “Venha e pegue-o, Frank!” Frank Capra, diretor de Aconteceu Naquela Noite, correu para o palco e, ao chegar, descobriu que o vencedor era Frank Lloyd, por Cavalgada. Capra fez o que classificou de “a mais longa, triste e arrasadora caminhada de minha vida.” No ano seguinte, Frank Capra ganhou a premiação.

3. Estatueta roubada

A atriz Alice Brady decidiu não comparecer à premiação, em 1938, e a estatueta que deveria receber como melhor atriz coadjuvante foi entregue a um homem desconhecido, que subiu ao palco como seu representante. O troféu e o homem jamais foram vistos novamente. A atriz morreu antes que a Academia pudesse encomendar uma nova estatueta para ela.

Continua após a publicidade

4. Indicados?

Ao anunciar o prêmio de melhor filme, em 1985, o ator britânico Laurence Olivier simplesmente se esqueceu de mencionar os indicados e foi direto para o resultado: “Amadeus!”

 

Continua após a publicidade

5. Branca de Neve constragedora

O número de abertura do Oscar de 1989 possivelmente é lembrado como o mais embaraçoso de todos os tempos. A atriz Eileen Bowman e o ator Rob Lowe cantaram e dançaram por cerca de dez minutos como Branca de Neve e o Príncipe Encantado, número criado pelo produtor do filme Grease, Allan Carr. Os atores não acertaram o tom em um único momento, e o público assistiu à cena profundamente constrangido. A Disney ainda processou a Academia, pois não havia cedido os direitos autorais para a cena.

Publicidade