Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após demissão de James Gunn, diretor de ‘Star Wars’ deleta 20 mil tuítes

Rian Johnson afirma que não recebeu nenhuma orientação oficial para apagar posts no microblog

A Disney, que controla a Marvel, anunciou na semana passada a demissão de James Gunn, diretor de Guardiões da Galáxia, por antigas piadas com alusões a estupro, pedofilia e aids publicadas no Twitter. Agora, o diretor de Star Wars: Os Últimos Jedi, Rian Johnson, resolveu se antecipar e apagou cerca de 20.000 tuítes de seu perfil na rede social.

Após especulações de que a Disney estaria instruindo a ação, Johnson se explicou no Twitter. “Não recebi nenhuma orientação oficial, e acho que eu nunca tuitei algo muito ruim. Mas são nove anos de coisas escritas, em grande parte, como efemeridades. Se examinar esse conteúdo para ser usado como munição é a nova regra, então pensei: ‘por que não fazer?'”, disse.

Após o anúncio da demissão, Gunn afirmou que compreende a decisão da Disney. “Embora já tenha se passado muito tempo, entendo e aceito as decisões adotadas hoje. Mesmo muitos anos depois, assumo toda a responsabilidade pela maneira como me comportei à época”, afirmou. “As minhas palavras de quase uma década atrás foram, nesse momento, erros totalmente fracassados e desafortunados para ser provocador. Lamentei (as mensagens) durante muitos anos desde então, não só porque eram estúpidas, nada divertidas, extremamente insensíveis e certamente não provocadoras como esperava, mas porque não refletem a pessoa que sou ou fui durante um tempo.”

Apesar de terem sido apagados pelo diretor, os posts foram reproduzidos em prints que circulam pela internet. Em uma das mensagens, ele diz: “Rir é o melhor remédio. Por isso eu dou risada de pessoas com aids”. As publicações foram resgatadas por defensores do presidente americano Donald Trump, a quem Gunn critica constantemente em suas redes sociais.