Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Anitta, ‘Ivana’ e outros famosos repudiam ‘cura gay’: ‘Devastada’

"Doença é seu preconceito", escreveu no Instagram Carol Duarte, que namora uma garota

“Estou devastada e aqui rezando para que os governantes deem atenção para o que é realmente importante, que é consertar a nossa miséria, a nossa corrupção, a nossa falta de educação, de instrução, para que a gente não cometa mais burrices como essa.” Assim Anitta se posicionou, em um vídeo publicado no Instagram, contra a decisão judicial que permitiu que a homossexualidade seja tratada como doença. Esse tipo de tratamento, liberado por liminar, havia sido proibido pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) há quase 20 anos, em 1999, com um atraso de nove anos em relação à determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que excluiu a homossexualidade de sua lista de doença. O CFP vai recorrer às instâncias superiores.

 (Reprodução/Instagram)

“Brasil se devastando e as autoridades preocupadas com quem queremos nos relacionar. Isso precisa acabar. Deus, cure a doença da cabeça do ser humano que não enxerga os verdadeiros problemas de uma nação. Pais, não obriguem seus filhos a procurarem cura para uma doença que não existe, baseados neste fato político. Essa busca interminável, sim, pode deixá-los realmente doentes”, escreveu Anitta no mesmo post.

A cantora não foi a única celebridade a se posicionar contra a liminar do juiz Walderm Cláudio de Carvalho, do Distrito Federal, que liberou o tratamento de “reversão sexual”. O ator Bruno Gagliasso chamou a decisão judicial de “imbecilidade” e Carol Duarte, a atriz que dá vida ao transgênero Ivan (Ivana) em A Força do Querer, a novela das 9 da Globo, também usou o Instagram para repudiar a decisão da Justiça do DF. Carol, que namora uma garota há mais de dois anos, escreveu que doença é o preconceito contra os gays.

“Passar argila na cara é um dos tratamentos da cura gay. Se vc é gay tente tambem e compartilhe com a gente a sua cura!  Sua pele vai ficar ótima, bicha! 😄 (Esse post contém ironia)”, disse a atriz no post. “Vai catar coquinho”, concluiu.

 (Reprodução/Instagram)

 (Reprodução/Instagram)

A cantora Pabllo Vittar usou o Twitter para se manifestar contra a liberação da reversão sexual, afirmando que “o preconceito não vai vencer”. No Instagram, escreveu em caixa alta: “NÃO SOMOS DOENTES”.

 (Reprodução/Instagram)

A jornalista Fernanda Gentil ironizou a decisão judicial, fingindo estar doente:

 (Reprodução/Instagram)

O ator Paul Gustavo, citado por Fernanda Gentil, também adotou o tom da brincadeira:

 (Reprodução/Instagram)

A mesma pegada da atriz Bruna Linzmeyer, que assumiu relacionamento com uma garota e publicou mensagem em seu Instagram:

 (Reprodução/Instagram)

Também nesta segunda-feira, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) definiu como “aberração jurídica” a decisão do juiz. Wyllys avisou que vai promover uma mobilização no Parlamento e se aliar ao Conselho Federal de Psicologia para recorrer da decisão do juiz federal. “É uma aberração jurídica, como outras que acontecem no País. Como é que o Judiciário se presta a isso? O Judiciário não está agindo de acordo com a Constituição”, comentou.

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Espancador de PeTralha

    essa mulherada tão perdendo a noção do preenchimento labial né?????
    Sequeladas, pelo amor de deusssss…. não abusem na estegtica facial.. logo ficarao como os monstrinhos famosos por deformidades faciais decorrente da dismorfia doentia em se modificar
    metade ai parece que comeu abelha.

    Curtir

  2. Sargento Souza

    Um bando de oportunistas, querendo mídia. Polemizar e dramatizar. Em tempo, pesquisem pelo CID e terão a resposta.

    Curtir

  3. Antônio de Oliveira Marques

    O enorme caldeirão de azeite fervente aguarda…

    Curtir

  4. Jesus está voltando para dar a cada um de vocês, que apoiam essa abominação chamada homossexualismo, uma lição inesquecível.

    Curtir

  5. Pacífico Guerra

    já não gostava das musicas dessa tal de Anitta, agora tenho nojo.

    Curtir