Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alicia Vikander e Michael Fassbender engatam namoro no set

O diretor Derek Cianfrance pediu para os dois morarem em um farol por um mês, e no final de 2014 surgiu a notícia de que estavam namorando

O que é melhor, para a promoção de um filme, do que ter por base um choroso best-seller? Quando os astros se apaixonam de verdade durante as filmagens. Esse é o apelo de A Luz entre Oceanos, uma história de cortar o coração inspirada no romance de mesmo nome da autora M. L. Stedman e estrelada por Alicia Vikander, vencedora de um Oscar, e Michael Fassbender. O filme estreia nos cinemas americanos nesta sexta-feira.

A história, que se passa na Austrália do anos 1920, conta a vida trágica de um zelador de farol (Fassbender) e sua esposa (Vikander), que sofreu dois abortos espontâneos. Quando um barco com um bebê chega à praia da ilha remota em que vivem, eles decidem criá-lo como seu filho — até conhecerem sua mãe verdadeira, anos depois.

LEIA TAMBÉM:
Mateus Solano roda filme em Nova York com Cynthia Nixon

A sueca Alicia, de 27 anos, uma das jovens atrizes mais procuradas mesmo antes de conquistar um Oscar em fevereiro por seu papel coadjuvante em A Garota Dinamarquesa, havia se encontrado brevemente com Fassbender um ano antes do início das filmagens, no final de 2014, na Nova Zelândia. “Nós nos conhecemos na pista de dança do Festival Internacional de Cinema de Toronto e no Bafta. Ele dança bem”, conta Alicia. “Mas na verdade nós não… nós nos conhecemos devidamente em Wellington durante os ensaios”, acrescentou Fassbender, de 39 anos.

Durante as filmagens, o diretor Derek Cianfrance pediu para os dois morarem em um farol remoto por um mês, e no final de 2014 surgiu a notícia de que os dois estavam namorando.

Alicia disse que chorou a primeira vez que leu o roteiro do filme e que muitas vezes foi exaustivo gravar cenas tão fortes. “Eu caí em prantos a primeira vez que li o roteiro, porque é muito humano… dá a sensação de são pessoas de verdade, dramas de verdade”, disse ela. “Ajudou eu já admirar Michael como ator desde que vi filmes À Deriva. É como se você visse um ser muito natural para cada personagem que acho que ele fez, mas ao conhecê-lo você entende quanto trabalho entra na preparação”, acrescentou.

Tanto Fassbender, que protagoniza Steve Jobs, quanto Alicia disseram ter ficado com uma boa sensação sobre o resultado final do filme enquanto o faziam.

“Parecia que tínhamos bons ingredientes. Depois tudo depende de as plateias o aceitarem ou não. Isso é algo que você realmente nunca pode saber”, disse ele.

(Com agência Reuters)