Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Acusações de abuso sexual derrubam popularidade de Bill Cosby nos EUA

Ranking da empresa de pesquisa Q Scores revela quais são as pessoas que mais ganharam críticos nos últimos dois anos

Acusado de abuso sexual por quase cinquenta mulheres, Bill Cosby viu sua popularidade despencar em uma pesquisa feita pela empresa Q Scores, que avalia a opinião dos americanos em relação a diversos assuntos, entre eles as celebridades mais queridas nos Estados Unidos. O site da revista The Hollywood Reporter comparou os resultados de 2015 com os de 2013 e concluiu que o humorista foi a personalidade que mais perdeu popularidade no período, caindo 43 pontos em relação à última pesquisa.

LEIA TAMBÉM:

Elogios de famosos a Bill Cosby são retirados de biografia

Ariana Grande pede desculpas por vídeo: ‘Fiquei com nojo de mim’

Kim Kardashian posa nua e rebate críticas sobre seu corpo na gravidez

A segunda celebridade a perder mais pontos foi Ariana Grande, com 26 a menos. A revelação não surpreende, já que a cantora conseguiu arranhar sua imagem de fofa ao aparecer em um vídeo lambendo os donuts que estavam expostos em uma loja e dizendo “odiar” americanos. Ela até tentou se desculpar – duas vezes -, mas parece não ter dado muito certo.

Outro que perdeu popularidade foi o médico e apresentador de TV Mehmet Oz (-16), acusado por um grupo de médicos da Universidade de Columbia de enganar seus espectadores. Robin Thicke vem logo em seguida (-14), graças às letras consideradas machistas do hit Blurred Lines, acusado ainda de plágio pela família de Marvin Gaye.

A lista segue com os jogadores de futebol americano Adrian Peterson (-13), acusado de agredir seu filho de quatro anos, e Robert Griffin III (-10), que se contundiu em dois jogos importantes e nunca mais repetiu as boas atuações às quais os fãs estavam acostumados. Também com menos dez pontos está a atriz Judy Reyes, que integra o elenco da série Devious Maids, criticada nos EUA pela maneira como retrata as mulheres latinas, abusando da sexualidade.

Em oitavo na lista aparece Miley Cyrus (-4), cuja imagem nunca mais foi a mesma após sua apresentação no MTV Video Music Awards de 2013, quando deu um adeus definitivo à sua personagem infantil Hannah Montana e rebolou até não poder mais no palco com Robin Thicke. No mesmo ano, ela passou a usar drogas no palco e a comparecer seminua a festas.

Os mais odiados dos EUA, em números absolutos e não em comparação à última pesquisa, foram Kim Kardashian, com 71 pontos negativos, que os americanos parecem “amar odiar”. O segundo do ranking foi Justin Bieber, com 63 pontos negativos, o astro teen que cada vez mais se torna um “menino problema”. Na outra ponta, Tom Hanks e Morgan Freeman lideram como os mais queridos dos americanos, com 48 pontos positivos.

(Da redação)