Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Academia de Hollywood expulsa Bill Cosby e Roman Polanski

Em outubro, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas expulsou o outrora todo-poderoso produtor Harvey Weinstein

Por agências EFE e France-Presse - Atualizado em 4 maio 2018, 10h56 - Publicado em 3 maio 2018, 16h48

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, que realiza o Oscar, anunciou nesta quinta-feira em comunicado que, após uma votação, decidiu expulsar do grupo seus membros Bill Cosby e Roman Polanski por não cumprir as normas de conduta da organização.

A decisão, tomada pelos membros da junta diretiva da entidade, é divulgada poucos dias depois de o comediante americano ter sido declarado culpado de três crimes de abuso sexual, em um breve comunicado que não faz referência aos casos.

Cosby, ícone da cultura popular dos Estados Unidos, foi declarado culpado no último dia 26 de abril, em um julgamento repleto de simbolismo, por ser o primeiro para uma celebridade desde a eclosão do movimento “Me too”.

Em outubro, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas expulsou o outrora todo-poderoso produtor Harvey Weinstein em meio ao escândalo provocado por denúncias de assédio e abuso sexual. Weinstein, Cosby e Polanski integram agora uma lista de apenas quatro membros da Academia expulsos.

Publicidade

Cosby, de 80 anos, foi condenado na semana passada por drogar e abusar sexualmente de Andrea Constand, de 45 anos, em janeiro de 2004, enquanto o diretor franco-polonês é há quatro décadas foragido da justiça americana por fazer sexo em 1977 com Samantha Geimer, quando ela tinha 13 anos de idade.

O aclamado cineasta chegou a se declarar culpado em troca da retirada das acusações mais graves, mas fugiu para a França convencido de que o juiz não respeitaria o acordo e o mandaria para a prisão.

Resposta

Nesta sexta-feira, o advogado polonês de Polanski, Jan Olszewski, afirmou que o diretor considerou como “assédio” a decisão da Academia. “O que aconteceu tem a característica de abuso psicológico a nosso cliente, uma pessoa idosa. Colocar Bill Cosby e Roman Polanski no mesmo nível é uma total incompreensão, perseguição”, afirmou Olszewski. “Polanski teve apenas um incidente (desse tipo) em sua vida, pelo qual foi considerado culpado, assumiu a responsabilidade, e pelo qual sua vítima o perdoou.”

Publicidade