Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A perigosa estratégia de defesa de Daniel

Advogado afirma que é "comum" não perceber que o parceiro não está correspondendo às carícias. Ex-BBB tenta voltar ao programa para recuperar imagem

“Estando escuro, à noite, depois de uma festa em que você bebeu, pode acontecer de você não perceber que esse parceiro não está te correspondendo. Isso pode acontecer, não é nada de outro mundo”, argumentou o advogado de Daniel, Wilson Matias

Fora da disputa por um milhão e meio de reais, com o nome envolvido em uma suspeita de abuso sexual no reality show de maior audiência da TV brasileira, o modelo Daniel Echaniz, de 31 anos, partiu para o ataque. Na tarde desta quinta-feira, advogados que o representam convocaram a imprensa para dizer que Daniel é inocente e exige voltar ao Big Brother Brasil, de onde foi expulso na última segunda-feira.

Alguns dos argumentos apresentados pelo advogado Wilson Matias fazem sentido. Ele argumenta, por exemplo, que, se Daniel “infringiu as regras” do programa, como afirmou a Rede Globo, qual o motivo para a produção não impedir a atitude irregular do participante? “Por que a produção da Globo permitiu que essa conduta continuasse? E, principalmente, por que veiculou essa imagem? [Isso aconteceu] porque a conduta não é socialmente inadequada”, disse Matias. “Desafio Boninho e Bial a virem a público dizer em que momento houve uma conduta inadequada”, provocou o representante de Daniel.

Matias e o Brasil sabem que cenas de sexo já ocorreram aos montes no BBB. E sabem, também, que a Globo optou pelo termo “regras do programa”, em vez de qualquer relação ao abuso sexual, para preservar o BBB e a empresa. Mas o advogado também suscita possibilidades que complicam a defesa da Daniel.

Diz Matias, sobre o que ocorreu debaixo do edredom entre seu cliente e a participante Monique: “É possível, para qualquer um de nós, casado ou com namorados, iniciar uma carícia qualquer. E que, por motivo alheio, nosso parceiro meio que adormeceu, meio que não (sic). Estando escuro, à noite, depois de uma festa em que você bebeu, pode acontecer de você não perceber que esse parceiro não está te correspondendo. Isso pode acontecer, não é nada de outro mundo. O fato ofensivo ocorre quando você inicia a prática sabendo que aquela pessoa encontra-se em estado de vulnerabilidade”.

A partir desse ponto, Wilson Matias atropela o que Daniel e a Globo vinham conduzindo bem. Os depoimentos de Daniel e Monique são categóricos, negam que tenha havido sexo e que tudo que ocorreu sob o manto foi consensual. Mas Matias ou não entendeu ou não acreditou. Ou seja, para o representante de Daniel, se Monique adormeceu durante a troca de carinhos no edredom, e ele prosseguiu com as carícias, não houve nada demais.

Um especialista em direito penal ouvido pelo site de VEJA alerta para o absurdo da tese do advogado. “Essa tese não tem cabimento, é um despautério”, afirma. Daniel está, até o momento, na condição de testemunha em um inquérito que apura “estupro de vulnerável”. É esse artigo – o 217-A – o que prevê pena de 8 a 15 anos de prisão para quem abusa de menores de 14 anos, ou de pessoas que não têm, por algum motivo, condições de consentir. Matias crê que, se Monique dormiu ou apagou, e Daniel prosseguiu, não houve crime. Levada a cabo, a tese pode conduzir o ex-BBB para a cadeia.

Com sua argumentação de que não houve abuso, Matias tentará, agora, trancar o inquérito que corre na 32ª DP (Taquara). Essa tentativa vai ser posta em prática logo que for concluída a perícia das roupas íntimas e dos lençóis recolhidos na casa do BBB. O material seria entregue hoje para perícia, que tem 30 dias para tentar encontrar indícios de que houve sexo naquele quarto.

Popularidade – Da tentativa de levar Daniel de volta ao BBB à anulação do inquérito, Wilson Matias tenta evitar danos à imagem do cliente – que é modelo e depende da opinião pública para conseguir trabalhar. “Queremos resgatar o que o público destruiu e a Globo ratificou: a imagem dele, sua dignidade”, disse.

No momento, Matias informou que o agente de Daniel tenta também reaver o contrato da África do Sul. O modelo desistiu desse contrato de trabalho no país africano para entrar no BBB 12. “Há grande possibilidade de ele conseguir isso”, afirmou Matias.