Clique e assine a partir de 9,90/mês

’13 Reasons Why’: após críticas, criador defende cena de estupro na série

'Por mais intensa que a cena seja, isso não chega nem perto da dor sentida pelas pessoas que realmente passam por isso', disse Brian Yorkey

Por Estadão Conteúdo - 23 maio 2018, 15h33

(Este texto contém spoilers da segunda temporada de 13 Reasons Why)

Um dos episódios da segunda temporada de 13 Reasons Why, disponibilizada pela Netflix na sexta-feira passada, tem sido muito criticado pelos espectadores e por pais de jovens por incluir uma cena de estupro. No último episódio da série, três atletas estupram o aluno Tyler (Devin Druid) no banheiro. A cena mostra a ação com detalhes por cerca de dois minutos, até que Tyler fica ensanguentado. O episódio termina com Tyler dirigindo até o baile da escola com a intenção de atirar em seus colegas de classe.

Entretanto, o criador da série, Brian Yorkey, acredita que a cena é necessária e não deveria ser criticada. Em entrevista ao site Vulture, ele falou: “Nós estamos comprometidos com essa série para contar histórias reais sobre coisas pelas quais jovens passam da maneira mais inflexível possível. Nós entendemos totalmente que isso significa que algumas cenas serão difíceis de ver. Eu acho que a Netflix ajudou a dar aos espectadores vários recursos para compreender que talvez essa não seja uma série para todo mundo, e também recursos para pessoas que assistam e possam ficar perturbadas procurarem ajuda”, disse ele.

“O fato é que, por mais intensa que a cena seja, e por mais fortes que as reações a ela sejam, isso não chega nem perto da dor sentida pelas pessoas que realmente passam por isso. Quando falamos sobre algo ser ‘nojento’ ou difícil de assistir, frequentemente isso significa que nós estamos relacionando vergonha a essa experiência. Nós preferimos não ser confrontados, deixar isso longe. É por isso que esse tipo de crime é subnotificado. É por isso que as vítimas sentem dificuldade em procurar ajuda. Nós acreditamos que falar sobre isso é muito melhor que o silêncio”, continuou.

Continua após a publicidade

Ele ainda ressaltou que, na primeira temporada, houve cenas de estupro sofridos por Hannah e Jessica, mas que não geraram tanta revolta. Yorkey acredita que é necessário tocar no assunto da violência sexual de homens contra homens. “Se há um sentimento maior de revolta com essa cena, especialmente considerada difícil de assistir, ser considerada nojenta ou inapropriada, chegamos ao ponto em que precisamos falar sobre o fato que coisas como essa acontecem. O fato de que, de alguma maneira, isso é mais nojento do que o que aconteceu com Hannah e Jessica, eu estou desapontado, mas não surpreso.”

Publicidade