Clique e assine com 88% de desconto

USP anuncia abertura de escritórios fora do Brasil

Universidade terá representações em Londres, Singapura e Boston. Objetivo é atrair estudantes, professores e pesquisadores estrangeiros

Por Da Redação - 26 mar 2013, 11h49

A Universidade de São Paulo (USP) oficializou nesta terça-feira a criação do programa USP Internacional, novo passo da instituição rumo à internacionalização. De acordo com resolução publicada no Diário Oficial do Estado, serão criados três escritórios da universidade fora do Brasil: o objetivo é atrair estudantes estrangeiros ao país e também facilitar a ida de alunos e professores da instituição ao exterior.

Leia também:

O Brasil precisa de universidades do seu tamanho

‘Brasil importa para o futuro das universidades britânicas’

Publicidade

O caminho rumo às melhores universidades do planeta

As cidades eleitas para abrigar comitivas da USP são Londres, Singapura e Boston – que abriga duas das universidades de maior prestígio do mundo, Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Além disso, um escritório em São Paulo deverá funcionar exclusivamente para facilitar a integração da instituição com países das Américas do Sul e Central, além do continente africano. A resolução não determina, porém, quando eles devem entrar em funcionamento.

“O estágio avançado de internacionalização da USP exige que se galgue um novo patamar nos relacionamentos internacionais da universidade”, diz o texto desta terça-feira, assinado pelo reitor João Grandino Rodas, mentor do projeto. Segundo a resolução, o programa USP Internacional, que entra em vigor imediatamente, expira em janeiro de 2014, quando deverá ser anunciado novo plano de ação.

Além da abertura de novos escritórios no exterior, está previsto o aumento do número de professores estrangeiros na USP, assim como o número de estudantes e docentes brasileiros no exterior. Aumentar o diálogo da universidade com instituições de fora por meio de convênios e eventos acadêmicos, como simpósios e congressos, também é um dos objetivos.

Publicidade

A iniciativa deve trazer bons frutos para a USP, que recentemente atingiu posições de destaque em rankings internacionais de excelência, como o inglês Times Higher Education (THE), que colocou a universidade paulista entre as 200 melhores do mundo e as 100 de maior reputação entre os acadêmicos. Já no ranking espanhol Webometrics, que mede a quantidade e a relevância da produção on-line das instituições, a USP aparece entre as 20 primeiras colocadas.

Leia também:

USP segue entre universidades com melhor reputação do mundo

USP cai quatro posições em ranking de universidades

Publicidade

USP e Unicamp são estrelas brasileiras solitárias no mais importante ranking de universidades do mundo

Publicidade