Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Uniesp lidera lista de reclamações contra faculdades no Procon-SP

Levantamento considerou 1.129 registros feitos entre janeiro e setembro deste ano. Número de queixas aumentou 19% desde 2012

Por Da Redação 9 dez 2013, 20h02

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo, publicou nesta segunda-feira um ranking das dez instituições privadas de ensino superior de São Paulo que tiveram o maior número de reclamações entre janeiro e setembro deste ano.

De acordo como órgão, as queixas contra universidades, centros universitários e faculdades aumentaram 19% em relação ao mesmo período de 2012. Foram 1.129 registros contra as dez instituições mais reclamadas. O grupo Uniesp lidera a lista, com 290 reclamações, das quais 70% foram solucionadas. Segundo o Procon, o número de queixas contra a instituição cresceu 136% com relação a 2012.

Dentre as queixas mais comuns estão aquelas ligadas a cobrança indevida e a oferta de descontos que não foram cumpridos. No caso da Uniesp, que mantém 110 faculdades e os dois centros universitários, o Procon afirma que as principais relcamações referem-se a “falsa gratuidade” oferecida – como o caso da propaganda que afirma “Você na faculdade: a UNIESP paga” – e a contratação obrigatória do FIES para liberação do acesso às aulas e provas, entre outras práticas.

Leia também:

Brasil tem só 4 universidades em ranking de emergentes

USP cai em ranking e Brasil deixa elite universitária global

Unicamp é única brasileira no mais respeitado ranking de “universidades jovens”

Avanço do Brasil na educação perde fôlego, revela o Pisa

Pisa 2012: Cazaquistão e Albânia crescem mais que Brasil

Em nota, a Uniesp alega que 70% dos problemas foram solucionados e que o Procon “erra ao dizer que a instituição está impedida de formar novos cursos pelo MEC”.

O segundo colocado no ranking foi a Anhanguera Educacional, responsável pelas instituições Uniban, Unibero e Anhanguera. O grupo representa o maior número de matrículas entre os dez listados, com cerca de 428.000 matriculados.

Segundo o Procon, o problema mais reclamado pelos alunos envolve os procedimentos de cobrança, como falta de emissão de boletos, processos mal sucedidos de trancamento, cancelamento ou transferência, pagamentos realizados a empresas terceirizadas e não reconhecidos pela instituição, além da inclusão irregular do nome dos alunos em cadastros como o do Serasa.

Continua após a publicidade

Em nota, a instituição esclarece que “apesar de estar posicionado em 2º lugar neste ranking, o número de 178 CPIs (Cartas de Informação Preliminar) emitidas pelo Procon representa menos de 0,05% do total de alunos”.

As demais universidades foram procuradas, mas não se posicionaram até o fechamento desta nota.

Confira as campeãs de reclamação:

1º Grupo Uniesp – 290 reclamações

2º Anhanguera Educacional – 178 reclamações

3º Universidade Anhembi Morumbi – 165 reclamações

4º Uninove – Universidade Nove de Julho – 129 reclamações

5º Unip – Universidade Paulista – 96 reclamações

6º FMU – Faculdades Metropolitanas Unidas – 93 reclamações

7º Unisa – Universidade de Santo Amaro – 52 reclamações

8º Unicid – Universidade Cidade de São Paulo – 50 reclamações

9º Estácio – Universidade Estácio de Sá – 45 reclamações

10º Unicsul – Universidade Cruzeiro do Sul – 31 reclamações

Continua após a publicidade

Publicidade