Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Unesp: greves em campi interrompem atividades acadêmicas

Funcionários, professores e também estudantes cruzaram os braços em ao menos onze unidades da universidade paulista

Greves de servidores, professores e também alunos impedem a realização de atividades acadêmicas em campi da Universidade Estadual Paulista (Unesp) nesta terça-feira. A paralisação de servidores, iniciada nesta segunda, atinge onze unidades; a dos docentes, duas; e a de estudantes, oito. No total, a Unesp mantém 24 campi em diferentes cidades do estado de São Paulo.

Leia também:

Unesp: após orgia em festa, estudantes interrompem aulas

Greve de professores termina em tumulto em SP

A decisão de paralisar as atividades foi tomada durante assembleia realizada no dia 29, no campus de Marília, entre o sindicato dos trabalhadores da Unesp (Sintunesp), a Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp) e o Conselho de Entidades Estudantis Unesp. Entre as reivindicações, estão reajuste salarial de 11% de servidores e professores, isonomia de pisos e benefícios, não participação no Programa de Inclusão com Mérito no Ensino Superior Público Paulista (Pimesp), o programa de cotas a ser adotado pelas universidades públicas paulistas, entre outras exigências.

Para tratar das reivindicações, os três grupos pediram uma audiência com o reitor da Unesp, Julio Cezar Durigan. Segundo a Assessoria de Comunicação e Imprensa da instituição, a reunião está agendada para a próxima sexta-feira com cada uma das partes envolvidas.

Leia também:

Direito, Medicina e Poli da USP aceitam cotas, mas rejeitam Pimesp