Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Unesp: após orgia em festa, estudantes interrompem aulas

Grupo mistura reivindicação por melhorias na infraestrutura universitária a protesto contra expulsão de alunos que participaram de sexo grupal

Um grupo de estudantes da Universidade Estadual Paulista (Unesp) impede, desde terça-feira, a realização de aulas em duas faculdades do campus de Araraquara. Para dificultar o acesso de alunos e professores às unidades, eles bloqueiam as portas das salas de aulas com mesas e cadeiras. Eles alegam que o bloqueio tem três objetivos – bastante distintos, diga-se: chamar atenção para os problemas de infraestrutura no restaurante universitário, exigir o pagamento de bolsas de extensão universitária atrasadas e contestar o fato de seis alunos que viviam na moradia estudantil terem sido expulsos do local. A razão: eles realizaram uma orgia na moradia universitária. Eles prometem manter a manifestação – impedindo as atividades acadêmicas – até quinta-feira. Segundo a direção da Unesp, as aulas foram suspensas na Faculdade de Ciências e Letras e na Faculdade de Ciências Farmacêuticas, que juntas totalizam 3.524 estudantes.

Leia também:

Greve de professores termina em tumulto em SP

Ministério Público denuncia invasores da reitoria da USP

Protesto termina com prisão de 27 alunos da Unifesp

A Unesp reconhece o atraso no pagamento das bolsas de extensão universitária. A instituição afirmou, também por meio de nota, que os atrasos ocorreram em razão de reorganização interna na administração dos benefícios e que a situação vem sendo regularizada.

Na tarde de quinta-feira, a universidade organiza uma assembleia para discutir a situação com o estudantes. O campus de Araraquara não é o único da Unesp atingido por movimentos de grupos estudantis. Os campi de Assis, Ourinhos e Marília estão com aulas parcialmente paradas desde o fim de abril.

Leia também:

Nudez em trote na USP vira caso de polícia

Trote, uma prática medieval que desafia as universidades