Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sobe o número de aprovados na prova da OAB

Dos 121.309 candidatos que prestaram o exame, 14,83% passaram, segundo o resultado preliminar divulgado pela entidade

O número de aprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aumentou na prova aplicada entre julho e agosto, depois de registrar o pior índice de aprovação da história (9,74%) no teste realizado em dezembro. De acordo com o resultado preliminar divulgado na última sexta-feira, 23 de setembro, um total de 18.002 (14,83%) dos 121.309 candidatos foram aprovados.

Para o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, o resultado tem duas causas: a melhora no ensino de Direito no Brasil e o maior empenho dos alunos. “É uma resposta positiva à prova que vem sendo elaborada”, disse Cavalcante. “O objetivo é que passem os profissionais qualificados, e não a reprovação em massa”.

O juiz aposentado Luiz Flávio Gomes, criador da rede de cursinhos LFG, que prepara alunos para o exame da Ordem, não acredita que tenha havido melhora no ensino. “A aprovação na casa dos 15% é a média dos dez últimos exames”, afirma. “O que aconteceu é que a prova de dezembro foi mais difícil que as demais, o que diminuiu o número de candidatos bem sucedidos”.

Gomes concorda, no entanto, com a afirmação de que os candidatos estão se aplicando mais. “Vejo isso no dia a dia. Os alunos estão se conscientizando de que é preciso estudar mais para poder passar”, conta. Segundo o professor, o porcentual de aprovação continua muito baixo. “O mínimo aceitável é que 25% dos alunos passem”.

Na primeira fase, três questões foram anuladas e todos os candidatos foram beneficiados com os pontos referentes a elas. Os resultados da segunda fase foram divulgados em 13 de setembro. Segundo o secretário-geral da OAB, Marcos Vinícius Furtado Coelho, cerca de 2.000 bacharéis entraram com recurso pedindo revisão. O número final será divulgado em 4 de outubro.

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM:

OAB divulga resultado da 2ª fase do Exame da Ordem

Reprovação no exame da OAB bate recorde – e há quem queira acabar com a prova