Clique e assine a partir de 9,90/mês

Redação do Enem pede aluno engajado

Para professores, alunos precisam demonstrar visão crítica da realidade. Saiba quais são as mudanças anunciadas pelo MEC na correção do texto

Por Lecticia Maggi - 30 jul 2012, 17h43

A redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) difere-se da redação proposta nos vestibulares tradicionais e requer um aluno mais engajado, segundo professores ouvidos pelo site de VEJA. A dissertação no Enem busca o conhecimento do candidato em relação à sociedade em que ele está inserido. “Os avaliadores esperam alguém com entendimento crítico e não apenas um bom texto”, afirma Vivian D’Angelo Carreira, professora de gramática e redação do Cursinho do XI.

Leia também:

Saiba como é calculada a nota do Enem

Saiba tudo sobre o Enem 2012

Continua após a publicidade

Confira o guia do candidato

o governo lançou um guia sobre a redação do Enem 2012

confira a tabela

Neste tópico, a dica do professor Francisco Platão Savioli, supervisor de português do Sistema Anglo de Ensino, é evitar a “terceirização do problema”. “É comum os alunos escreverem coisas como: ‘O governo precisa investir mais em educação’ ou ‘Se não diminuira corrupção, nada vai mudar’. Mas é preciso que o candidato tome a responsabilidade para si também e proponha algo transformador dentro do seu limite de ação”, afirma.

Continua após a publicidade

Dicas – Antes de iniciar a redação é preciso redobrar a atenção na leitura dos textos de apoio. Vivian sugere ao aluno ler a proposta da redação, fazer as anotações que julgar pertinentes, mas escrever o texto somente após responder às questões objetivas do exame. “A prova sempre tem questões ligadas ao tema da redação. O aluno volta para escrevê-la com mais informações e olhar crítico”, considera Vivian.

Para Savioli, o grande desafio aos candidatos é ler todos os textos com calma e saber relacioná-los. “Os alunos acabam fazendo uma leitura fragmentária e fugindo do tema. Lembrem-se: nada é independente. A prova de redação começa com uma boa prova de leitura”, diz. Docentes enfatizam que, para se aprimorar na técnica, não há segredos: ler muito e praticar fazendo redações constantemente.

Como será feita a correção da redação do Enem 2012

Passo 1 O primeiro avaliador atribui uma nota para cada uma das cinco competências exigidas pelo MEC. Cada competência vale 200 pontos e, portanto, a nota total do aluno pode variar de 0 a 1.000 pontos. Passo 2 O segundo avaliador repete o processo do primeiro e atribui também uma nota de 0 a 1.000 à redação. Se houver concordância, a nota final será a média aritimética das duas notas. Desempate Caso haja uma discrepância de 200 pontos entre as duas notas – ou uma diferença de 80 pontos em cada uma das competências avaliadas – um terceiro avaliador é convocado. Até 2011, a margem de diferença era de 300 pontos. Passo 3 O terceiro avaliador analisa a redação e atribui a ela uma nota entre 0 e 1.000 pontos. Caso não haja discrepância entre o terceiro e pelo um dos outros avaliadores, a nota final será a média aritimética das duas notas que mais se aproximarem. Desempate Caso persista a diferença de 200 pontos entre os três avaliadores anteriores, uma banca composta por três outros corretores será convocada. Passo 4 Após a avaliação dos três integrantes, uma nova final será atribuída ao candidato.

Continua após a publicidade

Competências avaliadas no texto

Número 1 Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita. Número 2 Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. Número 3 Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. Número 4 Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. Número 5 Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

As razões da nota zero

Razão 1 Não atender a proposta solicitada ou apresentar outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo, o que configurará “fuga ao tema/não atendimento ao tipo textual”. Razão 2 Deixar a folha de redação em branco. Razão 3 Escrever menos de sete linhas na folha de redação, o que configurará “texto insuficiente”. Linhas com cópias do texto de apoio fornecido no caderno de questões não serão consideradas na contagem do número mínimo de linhas. Razão 4 Escrever impropérios, fazer desenhos e outras formas propositais de anulação Razão 5 Desrespeitar os direitos humanos

Publicidade