Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Provas do Enem 2012 já estão impressas e distribuídas

Mais de 70 batalhões das Forças Armadas garantem a segurança do exame

Por Da Redação 25 out 2012, 16h10

Prepare-se para o Enem 2012

Confira o manual do candidato

O que e como estudar na última hora

Saiba como é calculada a nota do Enem

Confira o mapa do Enem 2012

Nove temas atuais que podem cair na prova

Raio-X: os temas mais cobrados até hoje

Confira todas as notícias sobre o Enem aqui

As provas para os alunos que vão se submeter à próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já foram impressas e encaminhadas para pontos estratégicos de distribuição em todo o Brasil, informou nesta quinta-feira o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. “Já está tudo pronto”.

O exame está marcado para 3 e 4 de novembro. Será o primeiro da gestão Mercadante, que assumiu a pasta depois de Fernando Haddad (PT) deixar o MEC para concorrer à prefeitura de São Paulo. As provas estão protegidas por 72 batalhões do Exército, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar.

O MEC atua para evitar novos deslizes no Enem. Desde 2009, quando foi reformulada, a prova apresentou falhas consecutivas. Naquele ano, o exame foi furtado da gráfica responsável pela impressão dos cadernos de prova e um cópia das questões foi obtida pelo jornal O Estado de S. Paulo. O Enem teve então de ser cancelado a menos de uma semana de sua realização. No ano seguinte, um erro de impressão no caderno amarelo prejudicou 9.500 estudantes, que tiveram de refazer todas as 180 questões quase dois meses depois do primeiro exame. Em 2011, após a aplicação do Enem foi noticiado que alunos de um colégio particular de Fortaleza tiveram acesso antecipado a cerca de dez questões presentes na prova. Isso porque elas foram furtadas do pré-teste e faziam parte de uma apostila distribuída por um dos professores da escola.

Também em 2011, centenas de alunos recorreram à Justiça para que suas redações fossem recorrigidas. Muitos deles obtiveram nota zero e questionavam o método de correção do MEC. Alguns estudantes tiveram suas notas alteradas, como o caso de um jovem paulista que pediu a ajuda de um advogado depois de receber a informação de que havia zerado a dissertação. Analisado novamente pelos corretores, o texto do jovem recebeu espantosos 880 pontos – 1.000 é o valor máximo.

Tantas reclamações leveram Mercandante a anunciar mudanças na correção da redação este ano. Para ajudar na preparação dos candidatos, a pasta também elaborou um guia para orientar os estudantes com esclarecimentos sobre os critérios de avaliação. O MEC agora descarta novos delizes. “Acredito que vamos ter um excelente exame”, afirmou o ministro nesta quinta-feira. Ele ressaltou que foi reforçado, também, o trabalho de treinamento dos fiscais das provas.

(Com Agência Estado)

VEJA lança Microcurso de Redação do Enem

Confira todos os capítulos:

domínio do idioma

adequação ao tema proposto

como argumentar

como apresentar soluções

redações nota 1000 comentadas

Conteúdos para estudar em vídeo:

Orientações gerais para uma boa prova

História

Geografia

Humanidades

Inglês

Português

Matemática

Física

Química

Biologia

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês