Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

ProUni: inscrições para bolsas de estudo terminam nesta quinta

Candidatos podem se inscrever até às 23h59. Mais de 1,3 milhão de pessoas já se cadastraram

Por Da Redação - 29 jan 2015, 09h19

Leia também

  1. Mais um ano de cursinho ou faculdade privada? Saiba qual a melhor escolha
  2. 20 questões para escolher uma carreira no Enem e nos demais vestibulares
  3. Teste vocacional: descubra as carreiras que têm mais a ver com você
  4. Confira 6 cursos gratuitos da USP na internet
  5. Como usar a nota do Enem para entrar na universidade

*Atualizado às 11h05

Termina nesta quinta-feira o prazo para inscrições no Programa Universidade para Todos (ProUni). Os interessados podem se inscrever no site do programa até às 23h59 (horário de Brasília). O programa oferece 213.113 bolsas de estudo no ensino superior privado com base nas notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o programa registrou, até a noite de ontem, 1.308.432 inscritos, batendo a marca de 2014, quando 1.259.285 candidatos concorreram a bolsas de estudo.

Publicidade

Do total de bolsas ofertadas, 135.616 são integrais e 77.497 parciais. As bolsas serão para 30.549 cursos, em 1.117 instituições de ensino superior privadas.

Podem concorrer estudantes que cursaram o ensino médio na rede pública ou na rede particular, na condição de bolsista integral. É preciso ainda comprovar renda bruta familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais, no valor de 50% da mensalidade, a renda bruta familiar deve ser de até três salários mínimos.

Para se inscrever, o candidato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. Além disso, não pode ter tirado zero na redação. Outra condição é que ele ainda não tenha diploma de curso superior.

Professores do quadro permanente da rede pública de ensino, que concorrerem a cursos de licenciatura, também podem participar do ProUni. Nesse caso, não é necessário comprovar a renda.

Publicidade