Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Professores em greve protestam em frente ao Palácio Guanabara

Grevistas fecharam o trânsito da Rua Pinheiro Machado, onde fica a sede do governo estadual

(Atualizado às 19h30)

Os professores em greve há dez dias no Rio de Janeiro realizaram nesta quinta-feira mais um protesto com interdições de trânsito. Depois de uma assembleia realizada no bairro de Laranjeiras, cerca de 800 profissionais de educação caminharam em direção ao Palácio Guanabara. O trânsito na Rua Pinheiro Machado – local de constantes confrontos entre manifestantes e policiais – foi fechado por volta das 16h.

Às 18h, o Túnel Santa Bárbara, um dos acessos à Zona Sul, também foi fechado pelos manifestantes, complicando o tráfego em toda a região. Havia retenções também no bairro vizinho de Botafogo e até no Centro da cidade, que levaram mais de uma hora para serem liberados. No início da noite, ainda havia pontos de congestionamento.

Cerca de 60 PMs com escudos protegem a sede do governo do Estado e impedem que os manifestantes se aproximem. Os professores estão a cerca de 200 metros da entrada do palácio, em frente ao clube Fluminense. O protesto é acompanhado por jornalistas estrangeiros que já estão na cidade para a cobertura da Copa do Mundo. Um dos slogans dos professores é “Da Copa eu abro mão, quero mais dinheiro para saúde e educação”.

Leia também:

Leia também: Professores em greve no Rio se juntam a protesto contra a Copa

Agressões – Uma jornalista da Globonews, que trabalhava registrando o ato, diz ter sido agredida e xingada por manifestantes. Ela conta que foi cercada por um grupo, que atirou cones e garrafas de água. Os seguranças da emissora tiveram dificuldade em resgatá-la no meio da multidão, enquanto palavras de ordem eram gritadas contra a Rede Globo.

(Com Estadão Conteúdo)