Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Professor de Princeton divulga seu ‘currículo de fracassos’

Johannes Haushofer publicou em sua conta do Twitter documento que reúne todas as vezes que não foi bem sucedido na carreira acadêmica e profissional. Iniciativa busca mostrar que a rejeição faz parte de qualquer profissão

Por Da Redação 6 Maio 2016, 19h02

Johannes Haushofer, professor de psicologia e assuntos públicos de uma das melhores universidades do mundo, a Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, divulgou em sua conta do Twitter um currículo que relata apenas os fracassos de sua carreira. O documento foi elaborado por ele em 2011, para servir de apoio a um amigo que estava passando por um momento ruim na profissão, mas ganhou mais itens nos últimos anos e foi publicado esta semana. De acordo com Haushofer, a ideia é chamar a atenção para a quantidade de decepções invisíveis presentes em qualquer trabalho.

Leia também:

As cinco metas profissionais para alcançar em 2016

As onze carreiras mais promissoras para 2016

O “currículo de fracassos” foi elaborado como um currículo convencional, porém Haushofer o dividiu em seções como “Posições acadêmicas e bolsas que não conquistei”, “Artigos rejeitados em periódicos científicos” ou “Fundos de pesquisa que não consegui”.

Continua após a publicidade

Na última categoria, “Metafracasso”, Haushofer é bem humorado. “Este maldito CV de fracassos recebeu muito mais atenção do que todo o meu trabalho acadêmico”, conclui o professor.

“A maior parte das coisas que tento fazer dão errado, mas esses fracassos costumam ser invisíveis, enquanto os sucessos são visíveis. Percebi que isso, às vezes, passa a impressão de que a maioria das coisas dão certo para mim. Assim, muitas pessoas costumam atribuir os próprios fracassos apenas a si próprios e não ao fato de que o mundo é imprevisível, candidaturas dependem de sorte e pareceristas e comitês de seleção têm dias ruins”, escreve no documento.

Em entrevista ao site do jornal americano The Washington Post, o professor afirmou que espera que o documento seja uma fonte de inspiração para quando as coisas não estiverem boas no campo profissional, especialmente para os estudantes e jovens pesquisadores.

Inspiração – O “currículo de fracassos” de Haushofer foi inspirado em uma publicação da neurobióloga Melanie Stefan, da Universidade de Edimburgo, na Escócia. O artigo foi divulgado na revista Nature, em 2010.

“Você verá que ele será seis vezes maior do que um currículo normal. Provavelmente, será totalmente deprimente à primeira vista, mas pode ser que você inspire um colega para que ele esqueça a rejeição e comece novamente”, escreveu a pesquisadora no seu texto.

(Da redação)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês