Clique e assine a partir de 8,90/mês

Plataforma brasileira Veduca lança MBAs com certificado do MEC

Custo chega a 6.000 reais. Sem título, cursos saem de graça

Por Da Redação - 1 out 2013, 12h27

A plataforma de educação on-line Veduca anunciou nesta terça-feira o lançamento de um curso de MBA de engenharia e inovação. As videoaulas e material de apoio estarão disponíveis gratuitamente a todos os interessados, mas é possível também obter certificação do MEC para o curso – nesse caso é preciso pagar valores em torno de 6.000 reais. “Com o projeto, cumprimos nossa missão de levar educação de alta qualidade para um número maior de pessoas”, diz Carlos Souza, CEO do Veduca.

As aulas serão ministradas por professores de três das mais respeitadas instituições de ensino superior do país: Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de São Carlos (UFScar) e Universidade Federal de Santa Catarina (USFC). O programa tem 360 horas-aula e a grade curricular pode ser consultada na página dedicada ao assunto (http://veduca.com.br/mba).

As inscrições já estão abertas e as aulas começam no dia 5 de novembro. “A escolha desse MBA atende a uma demanda do país, que precisa crescer e precisa inovar”, diz Ronaldo Mota, coordenador do curso e ex-secretário de Educação Superior e de Educação à Distância do MEC.

Quem pretende obter a certificação do curso terá de fazer provas presenciais. Elas serão aplicadas pelo Centro Universitário UniSEB em mais de 200 pontos no Brasil. Também é preciso desenvolver e apresentar um trabalho de conclusão de curso (TCC). Para o ano que vem, o Veduca promete ainda o lançamento do MBA de gestão, em parceria com a HSM Educação.

Lançado em março de 2012, o Veduca oferece hoje cerca de 5.600 aulas de 17 importantes universidades, caso das brasileiras USP, Unicamp e Unesp e das americanas Harvard, Stanford, Yale e MIT. Segundo a própria plataforma, aproximadamente 1,5 milhão de pessoas já assistiram às videoaulas, e há 156.000 usuários cadastrados. Há um ano, a plataforma recebeu aportes da ordem de 1,5 milhão de reais de fundos de investimentos de tecnologia.

Continua após a publicidade
Publicidade