Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pisa vai avaliar educação em mais três províncias chinesas

Estudantes de Pequim, Jiangsu e Guangdong participarão da prova em 2015. Xangai, que faz parte da lista desde 2009, ficou na primeira posição em 2012

Por Da Redação - 25 ago 2014, 12h12

Estudantes de mais três províncias chinesas passarão a realizar as provas do Pisa (Programme for International Student Assessment), mais importante avaliação internacional de educação, realizada a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). As províncias de Pequim, Jiangsu e Guangdong passarão a fazer parte do ranking em 2015, segundo anúncio feito nesta segunda-feira pela OCDE. Em nota, o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, disse que a inclusão das três províncias na lista representa “mais um passo na crescente parceria da China com a OCDE”. Já participam da prova Xangai, Hong Kong, Taipé e Macau.

O Pisa mede o desempenho de estudantes de 15 anos de idade em matemática, leitura e ciências. Outro objetivo da avaliação é fornecer subsídios para políticas nacionais de educação. Em 2012, 510.000 jovens de 65 países ou regiões econômicas delimitadas (caso das províncias chinesas) aplicaram as provas.

Leia também:

Confira os rankings completos do Pisa: 2000 a 2012

Continua após a publicidade

Avanço do Brasil na educação perde fôlego, revela o Pisa

Educação financeira desafia escolas, aponta OCDE

Em 2012, Xangai obteve a maior pontuação do levantamento, registrando 569,6 pontos em leitura; 580,1 em ciência; e 613 em matemática. No Brasil, 19.877 estudantes, divididos em 837 escolas, fizeram a prova. A média nacional foi de 410 em leitura; 405 em ciências; e 391 em matemática. Embora acumule avanços nos últimos anos, o país fica bem atrás no ranking geral (confira abaixo).

Leia mais: A viagem de Gustavo Ioschpe à China

Continua após a publicidade

Clique no quadro abaixo para ver os rankings do Pisa de 2000 a 2012

Pisa imagem
Pisa imagem VEJA

Publicidade