Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Jovens Inspiradores’ participam de oficina em São Paulo

Cinquenta semifinalistas foram escolhidos dentre mais de 8.000 candidatos de todo o país. Marina Silva e Viviane Senna estão entre os palestrantes do evento

Os 50 finalistas do Prêmio Jovens Inspiradores, parceria entre VEJA.com e a Fundação Estudar, se encontram pela primeira vez em São Paulo, nesta segunda-feira. Durante todo o dia, eles participam de uma oficina com palestras, testes e dinâmicas em grupo.

O dia é decisivo para o futuro dos candidatos: é a partir desta etapa que serão escolhidos os dez finalistas, que receberão um iPad 64 GB e certificado. Os três vencedores levam uma bolsa de estudos no exterior e um ano de orientação (mentoring) com profissionais renomados.

O objetivo do prêmio é claro: identificar e encorajar jovens talentos com potencial de assumir postos estratégicos para o desenvolvimento do Brasil. Os 50 participantes da oficina foram escolhidos dentre os 8.190 inscritos no programa.

Ao todo, 36 homens e 14 mulheres participam da disputa, sendo 20 deles do estado de São Paulo. Outros onze participantes vieram do Rio de Janeiro. Minas Gerais e Distrito Federal empatam com quatro semifinalistas cada, seguidos por Santa Catarina, com três. Do Rio Grande do Sul, assim como do Mato Grosso do Sul, vêm dois semifinalistas. Já Ceará, Bahia, Pernambuco e Alagoas têm um representante cada.

Dos 50 candidatos, oito se formaram ou ainda estudam na Universidade de São Paulo (USP). A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é a segunda instituição do país com maior número de participantes no prêmio. Cinco representantes, entre alunos e ex-alunos, estão entre os semifinalistas.

As carreiras mais recorrentes entre os jovens selecionados são engenharia e administração, com oito candidatos cada – o equivalente a 15%. Direito aparece em seguida, com seis participantes.

No ato de inscrição, os candidatos foram solicitados a indicar uma de três grandes áreas em que gostariam de atuar na transformação do Brasil. Os temas desafios sociais e desafios políticos tiveram a mesma porcentagem de interesse (36%). Desafios empresariais foi o tópico escolhido por 26% dos semifinalistas.

Atividades – A primeira palestra a que os jovens assistem, nesta segunda-feira, é de Viviane Senna, presidente da Fundação Ayrton Senna e única brasileira a integrar o grupo “Amigos Adultos do Prêmio das Crianças do Mundo” – de onde participam nomes como Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul.

Em seguida, os jovens conferem a apresentação de Vicente Falconi, engenheiro e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ele é cofundador do Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG) e apontado como “uma das 21 vozes do Século 21” pela American Society for Quality.

A última personalidade do ciclo de palestras é Marina Silva, ex-candidata à Presidência, que ganhou reconhecimento internacional pela defesa do desenvolvimento sustentável. Já foi vereadora, deputada estadual, senadora e ministra.

Ao longo desta segunda-feira, os jovens realizam ainda teste de raciocínio e dinâmicas em grupo. Convidados da área acadêmica e do setor de comunicação são os responsáveis por analisar o desempenho dos semifinalistas na oficina.

O nome dos dez melhores colocados ao final da atividade serão conhecidos no dia 21 de agosto. Eles receberão um desafio: propor uma solução para um problema brasileiro concreto. Cada um terá ainda um vídeo gravado, onde mostrará um pouco do seu cotidiano: casa, universidade e trabalho. Os três grandes vencedores serão anunciados no dia 30 de novembro.

Leia também:

Marina Silva: ‘Jovens devem imprimir sua marca no mundo

Viviane Senna: ‘O Brasil precisa de resultados’

Entre mudar o mundo e ganhar dinheiro, por que não optar pelos dois?

‘É preciso apostar no Brasil’

‘Sonhar grande ou pequeno dá o mesmo trabalho’

‘Pense grande, comece pequeno, ande rápido’

‘Os jovens querem ser protagonistas da mudança’

No lugar das grandes causas, microrrevoluções

Fracassar é primeira lição para aspirantes a líder

Liderança não vem da teoria, mas sim da prática

No lugar das grandes causas, microrrevoluções

‘Mantenha acesa a sua paixão, e nunca desista’

Teoria e prática com Gustavo Ioschpe