Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inscrições para o Enem 2014 começam nesta segunda

Prazo acaba no dia 23. Nas redes sociais, estudantes reclamam da lentidão do site

Leia também:

Manual do Candidato do Enem: o que fazer na inscrição, na prova e na matrícula

Teste vocacional: descubra as carreiras que têm mais a ver com você Temas de atualidades que podem cair no Enem e vestibulares 2014/15 20 questões para escolher uma carreira no Enem e nos demais vestibulares Raio-x do Enem: os conteúdos mais cobrados desde 2009 Seis formas de usar a nota do Enem TRI: como é calculada a nota do Enem

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 começaram na manhã desta segunda-feira. Às 11h, o site de cadastro apresentava lentidão. Pelo Twitter, estudantes reclamaram da demora do sistema, alegando esperar mais de dez minutos para carregar a página de cadastro. O prazo para os estudantes realizarem a inscrição termina no dia 23 de maio. As provas serão realizadas nos dias 8 e 9 de novembro.

O cadastro pelo site é feito em oito etapas. Além dos dados pessoais e da escola, os candidatos também deverão preencher dados socioeconômicos. Assim como nas edições anteriores, a taxa de inscrição é de 35 reais e deve ser paga até o dia 28 de maio. Os estudantes do terceiro ano do ensino médio da rede pública estão isentos. No ano passado, o Enem bateu recorde de inscrições, computando mais de 7 milhões de cadastros.

O Ministério da Educação (MEC) estima que 8 milhões de pessoas irão se inscrever no exame neste ano. Em função da expectativa, a pasta vai imprimir 2,4 milhões de cadernos de prova a mais do que em 2013, quando foram feitas 15,9 milhões de impressões. O número de municípios que receberão a prova também vai aumentar: de 1.661 para 1.699. Já o número de pessoas envolvidas na elaboração do exame vai subir de 688.807 para 785.000.

Ainda segundo o MEC, a prova contará com segurança extra: todo o conteúdo dos testes está sendo elaborado em um espaço de segurança máxima dentro do Ministério, em Brasília. O espaço com 21 salas tem três níveis de segurança para evitar o vazamento de informações. Além disso, durante a realização do exame os fiscais de prova receberão um detector de metais portátil para garantir que nenhum participante utilize celulares ou escutas durante o teste.

O resultado obtido no Enem pode ser utilizado pelos estudantes para ingressar em instituições de ensino superior. Pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) é possível obter bolsas de estudo em universidades privadas. Já o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) utiliza a nota do exame para selecionar alunos para universidades públicas.

Certificado – Neste ano, MEC anunciou uma mudança no procedimento para obtenção do certificado do ensino médio via Enem, que pode ser requerido por brasileiros com 18 anos ou mais. As secretarias estaduais de educação e os institutos federais terão de publicar os nomes e dados dos participantes do exame que obtiverem a certificação por meio do exame.

A medida foi tomada, segundo o MEC, porque o cronograma de emissão do documento é mais lento que o da divulgação das notas do Enem. No início de 2014, os dados sobre os alunos que conseguiram a nota mínima para obter o certificado só começaram a ser enviados pelo MEC em 16 de janeiro, semanas após a liberação das notas para acesso individual. Com a divulgação da lista dos nomes de alunos com direito à certificação no Diário Oficial será possível usar esse documento para garantir matrículas em cursos superiores ou vagas em concursos públicos que exijam nível médio.

Em 2013, dos 784.830 participantes do participantes que realizaram o Enem para obter a certificação do ensino médio, apenas 60.320 – ou 7,6% do total – atingiram a nota mínima exigida para essa finalidade. Para conseguir o certificado, o estudante precisa tirar, no mínimo, 450 pontos em cada uma das quatro provas objetivas (linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas) e 500 pontos na redação.