Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo inicia defesa da ampliação do ano letivo

Ministro da Educação cogita ampliar jornada anual em 20 dias

Por Da Redação 21 set 2011, 19h23

O Ministério da Educação apresentou nesta quarta-feira dados que pretendem embasar a proposta de elevar a carga horária da rede de ensino fundamental. Segundo estudo apresentado pelo secretário executivo da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Ricardo Paes de Barros, o aumento de dez dias no ano letivo pode elevar o nível de aprendizado em até 44% no período de um ano.

O MEC já discute a possibilidade de ampliar a atual carga horária mínima de 800 horas distribuídas em 200 dias. Nações como Japão, Coreia do Sul e Israel mantêm jornadas letivas de, respectivamente, 243, 220 dias e 216 dias.

Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, o governo pretende elevar a atividade letiva em 20 dias ao ano. “A qualidade da educação não melhorar por inércia. Isso exige esforço”, disse. “Acho que está mais do que na hora de rever a questão do número de horas por ano que a criança fica exposta ao professor.”

Segundo Paes de Barros, a alteração poderia favorecer especialmente os alunos de famílias pobres, que não podem recorrer a atividades extracurriculares para melhorar o desempenho. “Ter férias muito prolongadas pode não ser a melhor ideia para um país que precisa acelerar seu desempenho em educação na velocidade em que o Brasil precisa”, disse o secretário, segundo a Agência Brasil.

O governo ainda não decidiu como será feita o aumento. Uma possibilidade é a ampliação da carga horária diária; outra, a do número de dias letivos. O assunto está sendo discutido com os secretários estaduais e municipais da área.

Continua após a publicidade
Publicidade