Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com 5,7 mi de inscritos, Enem tem desafio: evitar falhas

MEC gasta mais na organização da prova e promete segurança. Em parceria com o Anglo Vestibulares, VEJA apresentará gabarito no fim da tarde

Mais de 5,7 milhões de estudantes realizam neste fim de semana a edição 2012 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O número de inscritos é o maior desde a criação da avaliação nacional, em 1998. As provas ocorrem em todo o país a partir das 13h (horário oficial de Brasília). O site de VEJA, em parceria com o Anglo Vestibulares, apresentará o gabarito da prova e a resolução das questões no fim da tarde nos dois dias. Em vídeo, os professores vão comentar os testes.

Enem 2012

Confira o manual do candidato

Seis formas de usar a nota do Enem

Saiba como é calculada a nota do Enem

O que pode e o que não pode em 9 regras

Confira o mapa do Enem 2012

Nove temas atuais que podem cair na prova

Raio-X: os temas mais cobrados até hoje

Confira todas as notícias sobre o Enem aqui

Neste ano, o ministro Aloizio Mercadante capitaneia a avaliação nacional pela primeira vez e tem o desafio de realizar a prova sem falhas. Nos últimos três anos, o exame apresentou problemas que, em maior ou menos medida, afetaram a vida dos candidatos. Em 2009, o caderno de provas foi furtado da gráfica. No ano seguinte, quase 10.000 cadernos amarelos apresentaram defeito na impressão e, em 2011, um grupo de estudantes do Ceará teve acesso antecipado a mais de dez questões do Enem.

Para evitar falhas, o Ministério da Educação gastou cerca de 10% mais com processos de elaboração e segurança da prova. “Os candidatos podem ficar muito tranquilos. Nós temos muita segurança de que eles farão a prova nas melhores condições”, disse o ministro, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

O MEC reforçou a segurança das provas e diz ter monitorado de perto todos os processos que envolvem o Enem, desde a pré-testagem das questões que compõem a avaliação até o treinamento dos fiscais. Quase um quarto dos 45.000 malotes de prova espalhados pelo Brasil contam com lacres eletrônicos. Eles servem para registrar o horário em que os malotes são fechados e deixam a gráfica e, posteriormente, o horário em que são abertos ao chegar aos locais de aplicação do exame. Caso a medida seja eficaz, o Inep pretende expandi-la progressivamente nos próximos anos.

A aplicação do exame envolve uma verdadeira operação de guerra: são 15.076 locais de prova em 1.615 municípios espalhados pelos 26 estados e o Distrito Federal. Mais de 566.000 profissionais participam da organização, entre fiscais de sala, funcionários do Correios e agentes de segurança.

Além disso, as regras da correção da redação também foram alteradas e a partir deste ano, os alunos poderão ter acesso a correção dos textos, mas apenas para fins pedagógicos. Não será possível contestar a nota final.

Neste sábado, os estudantes terão de responder a 90 questões de ciências humanas e ciências da natureza, que englobam as disciplinas de história, geografia, química, física e biologia. O tempo máximo para realização do exame é de quatro horas e meia, o que significa uma média de três minutos para cada item. Já no domingo, os candidatos terão cinco horas e meia para resolver mais 90 questões de linguagens (língua portuguesa e língua estrangeira), matemática e redação. Em ambos os dias, os participantes são autorizados a deixar as salas após duas horas de prova. Contudo, se quiserem levar para casa o caderno de questões não poderão sair antes dos 30 minutos finais.

Orientações – Para um bom desempenho nos dois dias, especialistas ouvidos por VEJA ressaltam a importância de se manter a calma, manter uma alimentação adequada e aproveitar ao máximo o tempo. Confira orientações indispensáveis na tabela a seguir:

Perfil dos candidatos – De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), a maioria dos participantes do Enem 2012 é mulher: 59%, contra 41% de homens. Há um número similar de pessoas autodeclaradas brancas (41,8%) e pardas (41,4%). Negras representam 11,9%. Há ainda amarelas (orientais), com 2,28%, e indígenas: 0,6%. Dos mais de 5,7 milhões de participantes, 69,6% conseguiram isenção da taxa de 35 reais de incrição. Os pagantes são 30,4% do total.

Desde 2009, a avaliação ganhou status de vestibular. Pelo menos 92 instituições públicas aderiram ao Sistema de Seleção Unificado (Sisu) para preenchimento parcial ou total de suas vagas (confira como as instituições utilizam a nota do Enem). Esse sistema se baseia exclusivamente na nota do Enem para escolha dos candidatos. A avaliação é critério indispensável ainda para a participação em programas do governo federal, como o Programa Universidade Para Todos (ProUni). Outra função da prova é obtenção do certificado do ensino médio. Em 2012, 638.176 candidatos se inscreveram com este fim.

No próximo dia 7, o Inep vai divulgar os gabaritos oficiais das provas objetivas. A partir do dia 28, os participantes poderão acessar os resultados individuais da avaliação, mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha.

Vale lembrar que o Enem é corrigido segundo a Teoria da Resposta ao Item (TRI), um método internacionalmente difundido em que a nota final não é resultado da simples soma do número de questões que o participante acerta. Isso porque nem todas questões têm o mesmo valor. Se o participante acerta somente questões difíceis, sinaliza ao sistema de correção inconsistência no domínio da disciplina avaliada, pois a TRI considera que o conhecimento necessário à resolução dos testes fáceis é um pré-requisito à solução dos mais complexos. Em uma situação como essa, portanto, o sistema avalia que é alta a probabilidade de o acerto ser fruto da sorte (ou de boa mira para o “chute”).

Confira a seguir nove regras essenciais para os dias de prova, o que pode e o que não pode no Enem:

Confira a cobertura completa do Enem 2012:

Saiba o que fazer caso ocorram novas falhas no Enem

Correção da redação deve provocar mais queixas

MEC diz estar pronto para eventual apagão

MEC pede à PF investigação sobre boato de cancelamento do Enem

Número de redações inválidas no Enem sobe 168%