Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Benefícios de trainees incluem cheque de R$ 50 mil e casa mobiliada

Grandes companhias capricham nos benefícios para atrair novos talentos. Programas de seleção de jovens chegam a atrair mais de 70.000 candidatos

Programas de estágio e de trainee são duas importantes portas de entrada no mercado de trabalho. O primeiro ajuda universitários a experimentar, na prática, o que aprendem em sala de aula. O segundo, voltado para recém-formados, é uma forma de as empresas captarem e reterem os melhores jovens profissionais que as universidades despejam no mercado.

Com duração variada, que vai de três a dois anos, os programas de trainee preparam jovens talentos para ocupar posições de destaque na empresa. Durante o programa, os participantes trabalham em sistema de rotação de áreas, o chamado job rotation. Nesse período, passam por diferentes setores da companhia, a fim de entender todo seu funcionamento e assimilar a cultura da empresa – que forma, assim, uma espécie de funcionário-coringa, capaz de ocupar um cargo de gestor em mais de uma área.

Na disputa pelos melhores e mais promissores recém-formados, as empresas recorrem a outros benefícios, além de salários que variam de 4.000 a 6.000 reais – nada mal para quem acabou de sair da faculdade. “Trata-se de um investimento. Os privilégios oferecidos nos programas de trainee visam a reter profissionais que ajudarão a companhia a crescer mais”, explica Jorge Matos, presidente da Etalent, consultoria de gestão do comportamento empresarial.

Leia também:

Confira as vagas de trainee para 2015 nas maiores empresas do país

Estágio: jovens recém-efetivados contam como garantiram a contratação

Confira as 10 melhores empresas para trabalhar em 2015

O Banco Safra, por exemplo, presenteia seus novos trainees com um bônus de 50.000 reais. Já a fabricante de móveis Unicasa fornece auxílio-moradia de 2.500 reais e mobiliário completo para seus trainees. O objetivo é poupá-los de preocupações causadas por mudanças de cidade em decorrência do trabalho. Em outras companhias, a participação nos lucros pode chegar a quatro salários. Durante dois anos, os trainees da fabricante de vidros Schott os trainees mudam de área a cada quatro meses, durante dois anos – e cada etapa é executada em um país diferente.

A seleção de novos talentos dessas empresas dura, em média, cinco meses. Entre a divulgação das vagas e as etapas finais, os jovens enfrentam avaliações individuais, testes online, entrevistas e dinâmicas de grupo, muitas delas em inglês. “São processos bastante complexos, incluem etapas online, como a produção de vídeo de apresentação, e pelo menos três entrevistas com gestores da companhia. A escolha final pode levar até dois meses para ser definida”, explica Izabella Mattar, coordenadora da área de talentos da Fundação Estudar, que trabalha em parcerias com empresas na seleção de jovens universitários.

Tantos privilégios chamam a atenção de milhares de jovens em busca de uma carreira promissora. A companhia de bebidas Ambev, por exemplo, recebe em média 70.000 candidatos para seu programa de trainees. Em 2011, a competição teve cerca de 3.000 candidatos por vaga – o curso de medicina da Universidade de São Paulo (USP), o mais concorrido do país, registrou 55 candidatos por vaga no vestibular 2015.

Para Izabella, apesar de vantajoso para ambas as partes, as prerrogativas dadas aos trainees precisam ser avaliadas com cautela. “O candidato não pode se iludir com a proposta financeira e desconsiderar fatores como a identificação com o cargo pleiteado e as condições de trabalho. Já a empresa deve tomar precauções para não atrair candidatos sem perfil para a vaga.”

Confira a seguir as vantagens de alguns dos principais programas de trainee e prazos de inscrições: